domingo, 20 de fevereiro de 2011

* Correio da Tarde, faz avaliação da administração "Nossa Força é Nosso Povo".

          Em­bo­ra nos úl­ti­mos dias o pre­fei­to de Ca­raú­bas, Ade­mar Fer­rei­ra (PSB), tenha sido apre­sen­ta­do em parte da mídia da re­gião como um dos me­lho­res pre­fei­tos do Bra­sil, para a po­pu­la­ção de Ca­raú­bas a rea­li­da­de é bem di­fe­ren­te do que vem sendo anun­cia­do atra­vés de ma­te­rial pu­bli­ci­tá­rio pago em al­guns veí­cu­los de co­mu­ni­ca­ção.
          Atra­vés de um mi­nu­cio­so tra­ba­lho de in­ves­ti­ga­ção a equi­pe do COR­REIO DA TARDE, con­se­guiu fazer um le­van­ta­men­to sobre uma série de pos­sí­veis ir­re­gu­la­ri­da­des pra­ti­ca­das pela ges­tão do atual pre­fei­to de Ca­raú­bas. Pos­sí­veis des­vio de re­cur­sos de obras im­por­tan­tes como aba­te­dou­ro pu­bli­co, cre­che mo­de­lo, campo de fu­te­bol, além de con­tra­ta­ção ir­re­gu­lar de veí­cu­los e su­per­fa­tu­ra­men­to de or­ça­men­to para com­pra de com­bus­tí­vel estão entre as pos­sí­veis ir­re­gu­la­ri­da­des pra­ti­ca­das pela atual ges­tão. O ma­te­rial do­cu­men­ta­do foi en­tre­gue aos qua­tros ve­rea­do­res do grupo opo­si­cio­nis­tas que se com­pro­me­te­ram a ava­liar toda a do­cu­men­ta­ção e de com­pro­va­das as ir­re­gu­la­ri­da­des vão acio­nar o Mi­nis­té­rio Pu­bli­co para que as me­di­das ca­bí­veis sejam to­ma­das. 
         Se­gun­do foi cons­ta­ta­do in loco pela equi­pe do CT, um dos casos mais gra­ves está re­la­cio­na­do ao aba­te­dou­ro pu­bli­co mu­ni­ci­pal. Em­bo­ra re­cur­sos na ordem de R$ 140 mil reais te­nham sido des­ti­na­dos pelo go­ver­no fe­de­ral, atra­vés de emen­da apre­sen­ta­da pela ban­ca­da fe­de­ral, a po­pu­la­ção de Ca­raú­bas con­ti­nua con­su­min­do carne de ani­mais aba­ti­dos num local sem as mí­ni­mas con­di­ções de hi­gie­ne.
         No local, fun­cio­ná­rios da pre­fei­tu­ra tra­ba­lham sem os mí­ni­mos cri­té­rios de hi­gie­ne para evi­tar a con­ta­mi­na­ção da carne. Os ani­mais tam­bém aca­bam sendo mor­tos sem pas­sar por ne­nhum exame que ates­te seu es­ta­do de saúde e sua pro­ce­dên­cia.
         Lo­ca­li­za­do as mar­gens da RN117, o aba­te­dou­ro mu­ni­ci­pal fun­cio­na em pés­si­mas con­di­ções hi­giê­ni­cas e es­tru­tu­rais. O local, que fica em um ter­re­no iso­la­do, rea­li­za a ma­tan­ça no mesmo es­pa­ço em que se en­con­tram di­ver­sos cães, gatos e aves de ra­pi­na que dis­pu­tam os res­tos dos ani­mais aba­ti­dos. O mau chei­ro pro­du­zi­do pela lama acu­mu­la­da na área é in­su­por­tá­vel, as mos­cas estão por todas as par­tes, o piso é to­ma­do pelo san­gue dos ani­mais que serve de área de lazer para os ratos que cir­cu­lam li­vre­men­te. Não exis­tia tam­bém ne­nhu­ma câ­me­ra fri­go­rí­fi­ca e os uten­sí­lios usa­dos no abate, a carne é ar­ma­ze­na­da no piso sujo de san­gue e res­quí­cios de carne, o que dei­xa­va o chei­ro do am­bien­te ainda pior, já que não é feita a lim­pe­za diá­ria do local. Os res­tos de ani­mais tam­bém são jo­ga­dos em um local im­pró­prio, por trás do aba­te­dou­ro.
"Nós tra­ba­lha­mos aqui sem as mí­ni­mas con­di­ções de hi­gie­ne. 
         Não há ne­nhu­ma con­di­ção de fun­cio­na­men­to nesse local. Não usa­mos equi­pa­men­tos de se­gu­ran­ça como botas e luvas e a carne é jo­ga­da no chão até que o tra­tor que faz o trans­por­te che­gue ao local. En­quan­to isso as mos­cas e ou­tros in­se­tos ficam cir­cu­lan­do sobre a carne", disse o res­pon­sá­vel pelo abate José Au­ri­van da Silva. 
          As pes­soas que con­so­mem car­nes oriun­das de lo­cais como esses estão su­jei­tas a con­ta­mi­na­ções atra­vés de bac­té­rias e ou­tras doen­ças. As car­nes do aba­te­dou­ro mu­ni­ci­pal aca­bam sendo ven­di­das para res­tau­ran­tes, chur­ras­ca­rias e su­per­mer­ca­dos da ci­da­de. Os ve­rea­do­res, Iva­nil­do Gomes (PT), Paulo Bra­sil (PR), Ju­ni­nho Alves (PR) e Ha­mil­ton Be­zer­ra, o Bi­cu­do (PR) vão pedir a in­ter­di­ção do aba­te­dou­ro que rea­li­za dia­ria­men­te o abate ani­mais na ci­da­de. Eles ale­gam que o con­su­mo des­sas car­nes de ani­mais aba­ti­dos de forma ir­re­gu­lar pode com­pro­me­ter a saúde da po­pu­la­ção ca­rau­ben­se.

* Brasileiros têm mais dinheiro na Suíça do que chineses.

          Brasileiros contam com uma fortuna depositada nos bancos suíços e, apesar de toda a operação conduzida pela Polícia Federal contra doleiros e bancos estrangeiros, a corrida por paraísos fiscais ganha um ritmo sem precedentes. Dados do Banco Central da Suíça, obtidos pelo ‘Estado’, revelam que os brasileiros mantêm ao menos US$ 6 bilhões em Genebra, Zurique e outras praças financeiras da Suíça.
          Esse seria o valor oficial de contas declaradas, mas os bancos privados suíços consideram que o valor real pode ser dez vezes maior. Ex-funcionários de bancos na Suíça e agentes que trabalham na abertura de contas alertam que esse valor oficial é "a ponta do iceberg".
          O volume de dinheiro de brasileiros na Suíça vem crescendo. Entre 2005 e 2009, o BC suíço aponta a entrada de mais US$ 1,1 bilhão do Brasil. Segundo dados oficiais, nenhum outro país emergente registrou tal avanço e a expansão é a maior registrada de dinheiro vindo do Brasil.
          O total da fortuna mantida por brasileiros na Suíça já é superior aos de China, Índia e Arábia Saudita. A Suíça estima que tem, em seus cofres, US$ 3 trilhões em fortunas pessoais. O valor seria quase metade da fortuna privada do planeta.