segunda-feira, 12 de setembro de 2011

* Para pensar...

* Dirigentes de entidades estudantis negam falta de transporte escolar.

A mobilização de alguns estudantes universitários que se deslocam da cidade de Apodi para Caraúbas em transporte universitário questionando a precariedade dos veículos e a quantidade insuficiente para atender a demanda acabou gerando insatisfação por parte dos representantes de entidades representativas dos estudantes apodienses.

O presidente do Grupo de Apoio aos Estudantes (GAE) Perivaldo Nunes Melo falou sobre a prestação de contas contestadas pelos estudantes. Ele disse que os documentos estão abertos para consulta, seja pelos estudantes ou por qualquer outra pessoa. "O convênio recebido da prefeitura está à disposição não só dos estudantes como de todo e qualquer cidadão que desejar, para tanto basta procurar a diretoria e exigir tal documentação", comentou o presidente em entrevista ao radialista e blogueiro, Joseias Freitas.

Já o presidente da Associação dos Estudantes de Nível Técnico e Superior - (Aentis) Pedro Victor Alves Acioly enfatiza que a diretoria foi recém-empossada e, por tanto, ainda não deu tempo de preparar toda a prestação de contas da entidade. "Toda a prestação de contas estará à disposição dos estudantes e que esses dados serão disponibilizados também em um blog da internet que será criado em breve" disse Pedro.

De acordo com a coordenadora de transportes da Aentis, Simara Albuquerque a discussão está no campo político e não administrativo. "Isso na verdade é mais um jogo político que interesses estudantis, como coordenadora eu digo sempre que a política é salutar, mas que politicagem é desnecessária, principalmente nos meios estudantis" comentou.
Correio da Tarde.

* Piada do ano: 'Não há como o ensino público não ter melhorado', diz Haddad sobre Enem.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou nesta segunda-feira (12), ao comentar os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2010, que “não há como o ensino público não ter melhorado”. Segundo ele, é “praticamente impossível ter piorado a qualidade da educação na escola pública".

O MEC divulgou nesta segunda-feira as notas das escolas que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio no ano passado. Somente 13 escolas públicas aparecem na lista das cem melhores instituições de ensino do Enem 2010.

As notas por escola foram divididas pela porcentagem de participação dos estudantes no exame. No grupo principal, com mais de 75% de participação, o "top 100" é formado por 87 escolas particulares e 13 públicas. Aumentando o universo para as mil escolas com mais de 75% de participação que obtiveram melhor desempenho no exame, o Enem tem 926 privadas e apenas 74 públicas.
O ministro da Educação, Fernando Haddad, em comissão do Senado nesta terça (31) (Foto: Geraldo Magela/ Agência Senado ) 
 Pior não fica Haddad.

* Presidente do Inep diz que órgão não se preocupa com 'ranking' do Enem.

A presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Malvina Tuttman, afirmou nesta segunda-feira (12) que o desempenho das escolas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2010 "não é uma surpresa" e que o órgão “não se preocupa com a questão do ranking” das escolas no Enem.

Malvina disse que a preocupação do Inep é encontrar a melhor forma de divulgar os resultados. As notas do Enem mostraram que apenas 13 escolas públicas aparecem entre as cem melhores do exame entre as instituições com mais de 75% de participação dos alunos na prova. "O resultado não é uma surpresa se analisarmos a educação do país. Ela vem evoluindo, há investimentos importantes, mas temos de avaliar os resultado no contexto geral da educação brasileira", disse Malvina.

* Rio Grande do Norte lidera monitoramento de frequência escolar de beneficiários do Bolsa Família.

Entre os beneficiários do Bolsa Família o Rio Grande do Norte foi o Estado que obteve o melhor índice de presença nas escolas. Nos meses de junho e julho a frequência escolas no Estado potiguar das crianças atendidas pelo programa atingiu 92%.

O índice de monitoramento da frequência escolar no país foi de 87% – o melhor da série histórica para os meses de junho e julho. Em segundo lugar, após o Rio Grande do Norte, vêm Rio Grande do Sul (91%), São Paulo (90%), Ceará, Piauí e Paraná (89% cada), como mostra tabela abaixo.

Os resultados apontam também o alto percentual de cumprimento da contrapartida pelos beneficiários do programa de transferência de renda do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS): 96% do público de 6 a 15 anos acompanhado frequentaram, pelo menos, 85% das aulas no bimestre e 95% dos adolescentes de 16 e 17 anos atingiram o mínimo de 75% de presença escolar.
Anna Ruth.

* Pecado Capital: MP diz que investigados "afastaram" delegado da Deicot.

A quadrilha presa na operação Pecado Capital nesta segunda-feira (12) teve poder até para "afastar" um delegado que pretendia investigar os supostos crimes administrativos cometidos no Ipem. Segundo o Ministério Público, o delegado Matias Lauretino teria sido destituído das funções como adjunto da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Ordem Tributária (Deicot) a pedido de Rychardson de Macedo Bernardo, ex-diretor da autarquia.

Uma interceptação telefônica feita pelo Ministério Público às 21h05 do dia 28 de março passado mostra uma conversa entre Rychardson e o advogado Daniel Vale Bezerra, também preso na operação Pecado Capital. Os dois falavam sobre as investigações comandadas por Matias Laurentino. Na gravação, eles discutem sobre como o delegado conseguiu
informações sobre diárias pagas pelo Ipem e os nomes do pessoal que recebiam essas diárias.

"É só dizer que não tem [a lista com os nomes das pessoas que recebiam as diárias]. Como foi que esse FDP pegou isso aí? Que bicho FDP esse Delegado", diz Rychardson a Daniel.

* Governo do Estado envia à Assembléia Legislativa proposta orçamentária de 2012.

O Governo do Estado tem até o dia 15 de setembro para encaminhar à Assembléia Legislativa a proposta orçamentária referente a 2012.

Segundo o secretário de Planejamento, Obery Rodrigues, o Governo está trabalhando para enviar à Assembléia uma proposta orçamentária menor do que a que foi projetada para 2011.

A proposta orçamentária de 2011, aprovada pela Assembléia, foi da ordem de R$ 9.498.381.000,00. O percentual de remanejamento do OGE 2011 foi de 15%.

Na Assembléia, a proposta orçamentária de 2012 poderá ser emendada pelos deputados.
Robson Pires.

* Reforma e instalação do gabinete odontológico no posto de saúde de Mariana serão concluídas quarta-feira.

Na próxima quarta-feira (14), serão concluídas tanto a reforma quanta a instalação do gabinete odontológico no posto de saúde da comunidade de Mariana/Caraúbas, essa é mais uma ação da administração "Nossa Força é Nosso Povo", no tocante as melhorias na área da saúde em nosso município, a partir de agora os moradores das comunidades próximas à Mariana, não terão de se deslocar para outros lugares ou outras cidades para fazer o seu tratamento dentário, "O povo da região da Mariana pediu na campanha e eu prometi, e estou cumprindo, com o gabinete odontológico a região estará mais bem assistida", comentou Ademar Ferreira.
Imagem Ilustrativa.

* Governo Ademar Ferreira tem feito cobranças a governadora Rosalba.

Nas últimas semanas o governo Ademar Ferreira (PSB) tem feito cobranças veementes ao governo do estado, no tocante a problemas recorrentes em nossa cidade que são de responsabilidade do erário estadual. 

Problemas como os da CAERN, BLITZs, conclusão das obras que estão paralisadas em nosso município só são algumas das reivindicações do governo "Nossa Força é Nosso Povo" para com a governadora Rosalba Ciarlini (DEM).
Governo Rosalba, já passou da hora de agir.

* PSD nasce para exercitar vocação governista em 18 dos 27 Estados.

Além de partido “colaborador, mas independente” em relação à presidente Dilma Rousseff, o PSD nasce aliado de 18 dos 27 governadores e, na maior parte dos casos, ainda tende a segui-los nas eleições das capitais. O arco de alianças não tem preconceitos: vai do PT ao DEM, passando por PSB, PSDB e PMDB. A legenda criada pelo prefeito paulistano Gilberto Kassab será “independente” em cinco Estados, inclusive São Paulo, e no Distrito Federal. Estará na oposição em apenas três. 

Com dois governadores - Raimundo Colombo, de Santa Catarina, e Omar Aziz, do Amazonas -, cinco vice-governadores, 49 deputados federais e dois senadores, o novo partido não vê motivos para vetos na escolha dos parceiros. “Não tivemos dificuldades de nos aliar às pessoas que facilitaram nossa formação. E não saímos por aí arrumando inimigos”, diz o futuro secretário-geral do PSD, Saulo Queiroz, ex-tesoureiro do DEM.

Entre os 18 governadores aliados, há um grupo de parceiros - patronos, até - que tiveram participação direta na estruturação do PSD nos Estados. Cederam aliados e, em contrapartida, fortaleceram suas bases.
Estão nesse grupo a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB); o tucano Simão Jatene, do Pará; os petistas Jaques Wagner, da Bahia, e Marcelo Déda, de Sergipe; e o presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

Outro socialista, o cearense Cid Gomes, também apoiou a formação do PSD, coordenado no Estado por um de seus principais auxiliares, o gestor de gabinete do governo, Almircy Pinto.

Nas eleições de 2012 em Fortaleza, o PSD vai seguir a orientação de Cid Gomes. O mais provável é que o governador cearense mantenha o apoio ao PT da prefeita Luizianne Lins. Outra opção, se forem agravadas as divergências internas dos petistas, seria o lançamento de um candidato do PSB.

A situação se repete na sucessão de Recife. Eduardo Campos deverá manter a aliança com o PT, mas ainda há muita dúvida sobre a candidatura à reeleição do prefeito petista João da Costa. De qualquer maneira, o PSD será fiel à orientação do governador pernambucano.

* Escolas públicas são maioria entre as que tiveram desempenho abaixo da média no Enem 2010.

Responsáveis por 88% das matrículas do ensino médio do país, as escolas públicas são maioria entre as que ficaram com nota abaixo da média nacional no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2010. Entre os estabelecimentos de ensino que tiveram desempenho inferior à média nacional na prova objetiva (511,21 pontos), 96% são públicos. Esse dado descarta os colégios que tiveram participação inferior a 2% ou com menos de 10 alunos inscritos e, por esse motivo, não recebem uma nota final.

No total, 63% das escolas que participaram do Enem no ano passado ficaram com desempenho inferior à média nacional. Para o ministro da Educação, Fernando Haddad, a distância entre os resultados é “intolerável” e precisa ser reduzida. Ele avalia, entretanto, que muitas vezes o baixo desempenho está relacionado não apenas às condições da escola, mas de seu entorno.

Os resultados de cada escola estarão disponíveis para consulta na manhã de hoje (12) no site do Inep.

* Real é apenas a 29ª moeda mais segura.

O real pode ser a moeda preferida dos investidores internacionais para os lucros de curtíssimo prazo, mas fica atrás das moedas do Peru, Malásia, Hungria e Croácia, além de vários países desenvolvidos, como refúgio seguro para o dinheiro em caso de estourar uma nova crise financeira. É o que mostra um estudo feito por analistas da corretora japonesa Nomura Securities, que elaborou um ranking de moedas mais seguras para os investimentos. Entre 43 países avaliados, o Brasil ficou em 29º lugar, prejudicado, principalmente, pelas medidas de controle de capital adotadas nos últimos anos.

O dólar americano, mesmo depois de os Estados Unidos terem perdido a nota máxima AAA de classificação de risco pela agência Standard & Poor's (S&P), permanece no primeiro lugar como a moeda mais segura para investir, seguida do iene japonês e do euro. O último lugar do ranking ficou com a coroa da Islândia, país símbolo da crise financeira mundial de 2008, que sucumbiu a uma dívida bancária de dez vezes o tamanho da sua economia, resultando numa desvalorização da moeda superior a 80% e adoção de rígido controle cambial.

Na América Latina, a melhor colocação coube ao peso do Chile, seguido pelo novo sol do Peru e peso do México, enquanto o peso argentino teve a pior avaliação. As moedas latinas, no geral, tiveram avaliação fraca em razão de problemas com inflação, classificação de risco da dívida soberana e critérios de governança, segundo o estudo.