segunda-feira, 7 de novembro de 2011

* Inauguração do Hotel Olho D'água do Milho/Caraúbas dia 13 de Novembro! Senhas antecipadas na Construtora!

Senhas antecipadas na Construtora: INTEIRA R$ 25,00 ESTUDANTE: R$ 12,50.

* Venezuelana Ivian Sarcos é a Miss Mundo 2011.

A venezuelana Ivian Sarcos, de 21 anos, conquistou neste domingo (6) o título de Miss Mundo na 60ª edição do concurso de beleza, realizada em Londres. Cotada como uma das fortes candidatas ao título Miss Mundo 2011, a brasileira Juceila Bueno (23) teve que contentar-se com a 29ª colocação.

Mas o Brasil tem o que comemorar. Apesar de não ter levado o título, o país será a sede da edição de 2012 do concurso, realizado no dia 5 de maio em Mangaratiba, cidade do Rio de Janeiro.
Ivian Sarcos, representante da Venezuela, é a vencedora do concurso Miss Mundo 2011, realizado neste domingo, 06, no Earls Court, em Londres, na Inglaterra
Ivian Sarcos se emocionou ao receber a coroa e a faixa de Miss Mundo 2011.

* Norte e Nordeste têm maiores altas de matrículas na educação superior.

O Brasil registrou, em 2010, 6.379.299 estudantes matriculados em um dos 29.507 cursos de graduação ou pós-graduação de 2.377 instituições, segundo dados do Censo de Educação Superior divulgado nesta segunda-feira (07) pelo Ministério da Educação. O número é mais que o dobro do registrado em 2001, de pouco mais de 3 milhões. Ao todo, as matrículas cresceram 110,1% em dez anos.

O crescimento foi impulsionado pelas regiões Norte e Nordeste, com alta de 148,3% e 128,5%, respectivamente. Em relação a 2001, o Nordeste ultrapassou a região Sul  para se consolidar na segunda região em número de estudantes de ensino superior, com 19,2% do total de matrículas. Foi no censo de 2008 que o Nordeste apresentou maior número de matrículas que o Sul.

* Novo pavilhão de Alcaçuz tem primeiro motim.

Os 88 presos do novo pavilhão da Penitenciária de Alcaçuz se amotinaram na tarde desse domingo (06) e destruíram colchões e toda a estrutura hidráulica das celas. Eles quebraram vasos, pias e chuveiros, e chegaram a tentar queimar os colchões.

O motivo, aparentemente, teria sido a falta de regalias. Os presos deste novo pavilhão não têm acesso à televisão nem a equipamento de som, e não podem receber alimentação de seus familiares durante as visitas sociais.

Os agentes penitenciários intervieram e controlaram o motim sem que ninguém ficasse ferido. Os 88 detentos que promoveram o motim foram transferidos para o pavilhão Rogério Coutinho Madruga há menos de um mês.
 

* Presidente da Câmara atrapalha investigações e barra todas as CPIs.

Sem alarde, o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), tem tomado decisões, em seus nove meses do mandato, que esvaziam o poder constitucional dos deputados de fiscalizar as ações do governo. Ele não permitiu a instalação de nenhuma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e vem dificultando as iniciativas de investigação das comissões e a busca de informações dos parlamentares junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), órgão auxiliar da Câmara responsável por auditorias em programas e gastos públicos.

Ao retirar prerrogativas dos parlamentares, Maia beneficia diretamente o governo. As CPIs são instrumentos de investigação parlamentar com poderes de quebrar sigilos fiscais, telefônicos e convocar qualquer pessoa. Por isso, o Executivo, que nem sempre consegue controlar os trabalhos das comissões, sempre viu as CPIs com desconfiança, como uma “arma perigosa” nas mãos dos parlamentares.

A estratégia de Maia levou a um significativo recorde na história do Legislativo: esta é a primeira vez, nos últimos 36 anos, que não há uma única CPI funcionando na Câmara no início de um período legislativo. Os precedentes apontam exatamente o contrário. Desde 1975, os deputados começaram seus trabalhos com propostas de investigação. A explicação é que Maia, de forma unilateral, barrou os sete requerimentos já protocolados na Casa desde fevereiro passado, quando os deputados tomaram posse e ele foi eleito para presidi-la no biênio 2011/2012.

As normas regimentais permitem o funcionamento de até cinco CPIs ao mesmo tempo na Câmara. No entanto, Maia enviou o primeiro requerimento ao arquivo e simplesmente ignorou os outros seis - ou seja, até hoje não deu parecer favorável nem contrário a eles, independentemente do assunto que o parlamentar se propõe investigar - e mesmo com as assinaturas de apoio suficientes e confirmadas pela Secretaria Geral da Mesa.

* Câmara deve votar prorrogação da DRU nesta semana.

A falta de quórum para votações no Congresso na semana passada provocou o adiamento de várias decisões para esta semana, como a sessão que deverá votar a proposta de emenda à Constituição (PEC) que trata da prorrogação da Desvinculação das Receitas da União (DRU) até 2015.

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS) já anunciou que serão necessárias três sessões deliberativas diárias para que seja possível votar a DRU em primeiro turno na próxima quinta-feira (10). Mesmo assim, a expectativa do líder do governo na Casa, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), é uma votação difícil e demorada. “Pode ser que tenha que se arrastar por 30 horas”, previu o líder.

* Servidores entram em greve na próxima quarta-feira.

Os servidores do Judiciário Federal do Rio Grande do Norte decidiram em assembleia entrar em greve a partir da próxima quarta-feira (09). A categoria, que engloba os servidores do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e Justiça Federal (JF), reivindica reposição salarial estagnada há cinco anos.
Servidores reivindicam perdas acumuladas durante cinco anos 
Servidores reivindicam perdas acumuladas durante cinco anos.
O Plano de cargos e Salários (PCS) da classe faz parte do Projeto de Lei 6613/09 que se encontra na Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara Federal para votação. O PL já esteve na pauta de votação várias vezes, mas foi adiada devido a manobra da bancada governista. A próxima votação deve acontecer justamente na quarta-feira (09) quando a categoria, no Rio Grande do Norte, entra em greve aumentando para 17 o número de estados paralisados.