sábado, 28 de janeiro de 2012

* Senado volta a contratar sem licitação.

Contratada sem licitação, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) deve arrecadar cerca de R$ 15 milhões com as inscrições para o concurso do Senado. A alegação do Senado é que a contratação direta da entidade se deve à necessidade de "reposição imediata" de parte das 650 aposentadorias ocorridas desde 2008. Serão preenchidas 246 vagas, além das que estão ocupadas por 3.174 servidores efetivos, 3.053 comissionados e os 3 mil terceirizados. O valor total das inscrições será da FGV.

Chega-se aos R$ 15 milhões, pela estimativa da Casa de que 80 mil pessoas se inscreverão pagando os seguintes preços: os que disputarem as 104 vagas do nível médio, com salário inicial de R$ 13.833,64, pagarão R$ 180. Os concorrentes das 133 vagas de nível superior de analista legislativo, salário de R$ 18 440,64, pagarão a inscrição no valor de R$ 190. E é de R$ 200 o preço da inscrição na disputa do maior salário, de R$ 23.826,57, para as 9 vagas de consultor.

* Carnaval é no Hotel Olho D'água do Milho/Caraúbas.

* Líder do PMDB confirma que indicação para o DNOCS será de um nome do RN.

O líder do PMDB na Câmara dos Deputados, o deputado federal Henrique Eduardo Alves, confirmou que a indicação do novo diretor geral do DNOCS será feita pelo PMDB do Rio Grande do Norte.

“A indicação será nossa”, destacou. O peemedebista considerou “absurdo” o relatório da Controladoria Geral da União que apontou supostas ilegalidades cometidas em obras do DNOCS. Henrique Eduardo Alves afirmou que a atenção se volta agora para o Tribunal de Contas da União que deverá trazer um posicionamento sobre as denúncias feitas pela CGU. “Vamos aguardar o TCU, é questão de honra”, completou.

O deputado federal lembrou que foi procurado pelo ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra Coelho que confirmou a reformulação total que será feita no órgão, inclusive com mudanças não apenas no DNOCS, mas também na Sudene e Sudam. “Será uma completa reestruturação, mas o espaço do Rio Grande do Norte será respeitado”, destacou.

* Substituição no Dnocs é oficializada.

A troca no comando do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs) foi oficializada ontem. A exoneração "a pedido" do diretor-geral Elias Fernandes Neto saiu no "Diário Oficial da União". Quem assume a função, interinamente, é o secretário Nacional de Irrigação, Ramon Rodrigues.

Elias Fernandes Neto anunciou a decisão de deixar o cargo na quinta-feira, após acusação de ter favorecido o Rio Grande do Norte de origem em convênios do órgão.

A saída foi anunciada por meio de nota oficial divulgada pelo Ministério da Integração Nacional, ao qual o órgão é submetido, depois de uma reunião entre Elias Fernandes Neto e o ministro Fernando Bezerra Coelho.

"Após reunião de trabalho com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, o senhor Elias Fernandes, pediu, na manhã da última quinta-feira (26), exoneração da Diretoria Geral do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), em função da reestruturação dos quadros das empresas vinculadas à pasta.