sábado, 12 de maio de 2012

* Rosalba tem nomes para reforma do secretariado.

Após um período de indefinições e de dificuldades para recompor parte do primeiro escalão, a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) conseguiu avançar nas articulações e poderá bater o martelo de pelo menos três das quatro pastas que sofrerão modificações ainda este final de semana. Como se sabe, o esposo da democrata, o ex-deputado Carlos Augusto Rosado (DEM), será nomeado chefe do Gabinete Civil (GAC). A nova equipe poderá ter outros nomes que, assim como Carlos Augusto, não são bem uma novidade. Um dos cotados para o Turismo (Setur), por exemplo, é o ex-secretário da pasta de mesmo nome na capital, Francisco Soares Júnior. Das pendências que preocupam fortemente o Governo - encontrar novos titulares para a Secretaria de Saúde (Sesap) e de Justiça e Cidadania (Sejuc) - uma já tem o desfecho praticamente consolidado. 

Após três convites e três negativas - foram convidados, sem sucesso, o oncologista Marcos Leão; o diretor do Hospital Onofre Lopes, Ricardo Lagreca; e o presidente da Unimed/Natal, Antônio Araújo - finalmente se acertou um novo titular para a Sesap. Trata-se do atual coordenador Estadual das Urgências e Emergências (Samu Metropolitano), o médico Luiz Roberto Fonseca. No que diz respeito à Sejuc, a governadora não tem procurado novos nomes porque prefere aguardar o retorno do procurador geral de Justiça (PGJ), Manoel Onofre Neto, para insistir na liberação do promotor de Defesa do Consumidor, José Augusto Péres. Onofre chega em Natal na segunda-feira (14) e já tem a sua espera discursos e apelos ensaiados para demovê-lo da ideia de não liberar o promotor. O chefe da PGJ estava irredutível inicialmente quanto à liberação de Péres, mas tem em seu desfavor o fato de o promotor externar a vontade de enfrentar o desafio na Sejuc. 

* Enquanto isso: Governadora diz que negociação com professores da UERN só com fim da greve.

A governadora Rosalba Ciarlini fez novo apelo aos professores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) para que eles voltem `as salas de aula. A convocação foi feita em Assu, nesta sexta-feira, 11, na solenidade de inauguração do conjunto habitacional Irmã Lindalva, diante de um pequeno grupo de alunos que pedia o fim da greve.

 “Eu também quero o fim da greve”, concordou a governadora, lembrando que as negociações foram interrompidas antes mesmo do governo ter tempo para honrar o compromisso de encaminhar projeto de Lei à Assembleia Legislativa determinando o aumento dos servidores, como havia sido acertado com o reitor Milton Marques e representantes dos segmentos universitários (professores, funcionários e estudantes), numa audiência em seu gabinete. “O governo já havia se comprometido a reajustar os salários”, ressaltou, insistindo que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) impõe limites.

Rosalba disse esperar que os estudantes possam convencer os professores a suspenderem a paralisação. “Precisamos, juntos, encontramos os meios legais”, declarou, avisando que o fim da greve é a única condição para que as negociações possam ser retomadas. Condição aliás, que havia sido revelada na nota que o governo divulgou nos jornais e rádios, no fim de semana passado.

Segundo a governadora, os prejuízos com a greve são expressivos. “A Uern custa meio milhão, por dia, e quase R$ 15 milhões, por mês. Não é justo que o professor ganhe o salário sem trabalhar e o aluno não tenha aula. Isso eu não vou aceitar”, avisou.

Antes de a governadora terminar o discurso, os quatro manifestantes guardaram os apitos, baixaram os cartazes e se retiraram em silêncio. A multidão ouviu as explicações da governadora sobre os entendimentos que haviam sido iniciados com a Universidade, atentamente. Depois, aplaudiu a governadora que encerrou sua fala dizendo que os tempos no RN são outros com relação à aplicação do dinheiro público. “Esse é um governo sério. Essas mãos começaram limpas e vão terminar limpas”, completou, considerando a probidade administrativa a maior marca de seu governo.
 Rosalba ontem em Assú.
Blog: Só lembrando essa é a visão do governo Rosalba. 
Redação Assecom-RN

* Estudantes da UERN de Caraúbas protestam contra a governadora Rosalba Ciarlini.

Na manhã de hoje (12), alguns estudantes da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), do município de Caraúbas saíram pelas ruas da cidade para protestarem contra a governadora Rosalba Rosado (DEM).

Com palavras de ordem e fazendo inúmeras reclamações, os estudantes já não aguentam mais toda a falta de respeito do governo Rosalba contra a sociedade estudantil da UERN, em pouco mais de 1 ano e 4 meses de governo, a UERN esteve com as suas atividades mais de 120 dias, inclusive está passando por mais uma greve.

O governo do estado está sem rumo e esses protestos são apenas a ponta de um novelo que tende a se estender, o RN está totalmente desgovernado, sendo administrado por um cidadão que pensa que ainda estamos na ditadura militar.

O estado do Rio Grande do Norte é totalmente diferente do município de Mossoró, onde o Sra. Rosalba administrou por 3 mandatos, onde existe uma realidade adversa do RN.

Bom seria se Rosalba ou Carlos Augusto, que é quem manda mesmo, passassem a governar o RN, que as coisas começassem a funcionar, agora torcer para não dar certo e torcer contra si próprio, entretanto o tempo está passando e nada está acontecendo. O que aconteceu em Caraúbas é o sinônimo da incompetência administrativa estadual, essas manifestações são constantes, ontem mesmo em Assú a governadora foi vaiada em praça pública, na entrega de casas populares.

Rosalba  não estava preparada para governar o RN e a prova disso todos nós estamos vendo.

Rosalba está caminhando no trilho da prefeita de Natal.

* Ministro Garibaldi Filho quer mudar regras das pensões por morte.

O Ministério da Previdência Social (MPS) prepara mudanças na concessão da pensão por morte. O benefício hoje é responsável por uma despesa de R$ 60 bilhões/ano para os cofres do INSS, o que equivale a 27% de tudo o que é pago aos segurados do Regime Geral de Previdência Social (RGPS). São 6,8 milhões de beneficiários, incluindo as viúvas e seus dependentes. As propostas são polêmicas porque mexem na integralidade, restringem a idade para a concessão do benefício, além de alterarem a repartição da pensão entre o titular e os dependentes.

O ministro da Previdência Garibaldi Filho, em entrevista ao Diário de Pernambuco, defende a necessidade de mudanças do sistema, entre elas a adoção de uma idade mínima para pleitear o benefício. É bom lembrar que as alterações só valem para os futuros beneficiários.

* Bateu, levou: Rosalba rebate declarações de Robinson Faria.

A governadora Rosalba Ciarlini (DEM) respondeu às críticas feitas pelo vice-governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PMN), que afirmou, em entrevista à Rádio Cidade (FM 94), reproduzida em O Jornal de Hoje, na última terça-feira, que a governadora perde compromissos internacionais por temer passar o governo ao seu vice. Segundo Robinson Faria, “ela não passa o governo para o vice-governador por ter uma mentalidade atrasada, mesquinha, uma cultura política do século passado”, afirmou.

Por meio de nota enviada ao Jornal de Hoje, o governo afirma que a governadora Rosalba Ciarlini “lamenta a insistência do tom compulsivo e deselegante do vice-governador Robinson Faria ao atacá-la de forma sistemática e pessoal”. Diz que “o Rio Grande do Norte inteiro sabe que o vice-governador Robinson Faria age assim quando rompe com governos ou não consegue impor suas vontades”. E que “foi desta forma destemperada e radical que atacou a gestão anterior, a quem hoje elogia por interesses eleitoreiros, adjetiva com raiva e insiste em se manter em evidência com temas superados”.

Segundo a nota, “quando estava no governo, como partícipe no secretariado e indicando auxiliares para órgãos importantes, seu tom em relação à governadora era bem diferente. Elogioso até além do razoável. Mudou quando seus interesses foram contrariados”.

CRÍTICAS À GESTÃO

Sobre a administração do RN, o vice-governador disse enxergar “um governo sem rumo, que não tem um projeto administrativo, que pecou na omissão de não fazer um planejamento estratégico e que priorizou um projeto político de fortalecimento da governadora”. Na nota ao JH, o governo se defende, afirmando que a governadora Rosalba Ciarlini “tem consciência dos inúmeros problemas vividos pelo Estado e a eles está dedicada”. Acrescenta que “é lamentável que o vice-governador tenha usado um tom oportunista, personalista e coronelista”,que, na visão do governo, são “características, aí sim, de um estilo de se fazer política completamente ultrapassado”.

E governo continua, acusando que “é grosseiro”, da parte do vice-governador, “insinuar que a governadora evite se ausentar do Estado para que ele não assuma o governo eventualmente”. Na avaliação do governo Rosalba, “além de revelar o desejo indiscreto do poder pelo poder, quem vem a público afirmar tal desatino, reflete o famoso clichê ‘Quem disso usa, disso cuida’”, continua o texto oficial: “Por mais duro que seja, é preciso que o vice-governador aproveite o seu tempo para ajudar o Rio Grande do Norte com ações mais produtivas. Declarações como a que pronunciou, refletem falta do que fazer”.

* Petistas de Mossoró desafiam Executiva Nacional do partido.

A resolução da executiva nacional do PT, que praticamente desautoriza o lançamento de candidatura própria em Mossoró, não foi suficiente para frear as pretensões políticas do diretório do partido no município da região Oeste.

Pela resolução, diretórios em cidades que tenham mais de 200 mil habitantes devem, antes de registrar suas candidaturas, passar pelo crivo do diretório nacional. O presidente do PT, Rui Falcão, foi bem claro quando citou Mossoró e Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, e evidenciou a possibilidade real de intervenção. Ontem, depois de ter debatido o tema, o diretório local divulgou nota, na qual se mostra disposto a partir para a briga judicial e marcou data da convenção que oficializará a candidatura do reitor da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), professor Josivan Barbosa de Menezes (foto), à Prefeitura de Mossoró.

Segundo a nota assinada pelo presidente do PT municipal, Valdomiro Morais, a legenda mossoroense cumpriu todo o calendário eleitoral interno e optou pela candidatura de Josivan Barbosa.

Diz ainda que ofício será encaminhado à Justiça Eleitoral requerendo o dia 10 de junho para realizar a sua convenção. “Assim, o PT de Mossoró tem garantido uma postura sempre democrática e firme, afastando-se de qualquer forma de intervenção não legítima ou qualquer outra que se insurja no processo de escolha de candidatos legalmente previsto em seu Estatuto, razão essa que encoraja seus bravos companheiros a seguirem em frente com vistas a uma sociedade cada vez mais justa.”

Para o pré-candidato Josivan Barbosa, a resolução do PT nacional não “mata” a candidatura mossoroense e afirmou que o diretório local fará o registro do seu candidato mesmo sem o aval do PT nacional. “Acredito que o partido vai tomar a decisão de registrar a candidatura”, disse.

* Escutas da PF mostram que o grupo de Cachoeira mandava matar adversários.

As interceptações telefônicas dos comparsas do bicheiro Carlinhos Cachoeira, realizadas pela Polícia Federal com autorização judicial, indicam que quadrilha era composta por um braço armado responsável por homicídios e ações de intimidação para manter os negócios do grupo. Duas conversas monitoradas entre quatro integrantes do grupo de Cachoeira em 6 de abril e em 25 de junho de 2011 fizeram os investigadores suspeitarem da existência de esquema de pistolagem, paralelamente à rede ilegal de Cachoeira.

Grampos envolvendo responsáveis pela rede de segurança da quadrilha trazem diálogo entre dois homens identificados apenas como Jefferson e Marco, tramando a contratação de pistoleiros. Jefferson entra em contato com Marco e dá a entender que o comparsa conhece criminosos que já realizaram execuções anteriormente. Marco fica em dúvida se a contratação seria para intimidar alguém, mas Jefferson explica. “Não é para arrochar, é para tomar bênção lá em cima.”