sexta-feira, 22 de junho de 2012

* Governo autoriza reajuste de preços de gasolina e diesel.

Depois do vai-não-vai, a diretoria da Petrobras consegue o aval da presidente Dilma Rousseff e os preços de venda nas refinarias dos derivados gasolina e diesel serão reajustados.

Para a vigorar partir de segunda-feira (25).

A gasolina ‘A ‘terá reajuste de 7,83%; o diesel de 3,94%.

Os preços, diga-se, sobre os quais o índice anunciado, não incluem os tributos federais CIDE e PIS/Cofins e o tributo estadual ICMS.

A justificativa da Petrobras é de que o “reajuste foi definido levando em consideração a política de preços da Companhia, que busca alinhar o preço dos derivados aos valores praticados no mercado internacional em uma perspectiva de médio e longo prazo”.

* Mudança de planos no bloco da situação... Será?

São grandes os rumores no bloco situacionista caraubense, de acordo com informações extra oficiais, existe a possibilidade real, de uma mudança no candidato situacionista.

O nome a disputar a municipalidade local, seria do articulador comandante Ferreira Júnior (PMDB), e o companheiro de chapa seria Novinho Praxedes (PMDB).

Apesar dos rumores, a pré candidatura de Ademar Ferreira (PMDB) continua de pé.

É aguardar...
Ferreira Júnior pode ser candidato a municipalidade local.

* Presidente do Paraguai sofre Impeachment.

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, está destituído do cargo. No início da noite desta sexta-feira (22), o Senado aprovou o Impeachment contra o presidente por 34 votos a 4, com duas abstenções. Com isso, o vice-presidente, Federico Franco, assumirá o cargo.

O motivo para o afastamento do presidente, de acordo com o parlamento paraguaio, foi o mau desempenho de suas funções. Com a ampla maioria de oposicionistas no Senado, Lugo sequer compareceu à sessão que decidiu pelo Impeachment. Cinco advogados defenderam o presidente, mas não conseguiram convencer os parlamentares.

Pela manhã, Lugo tentou junto à Suprema Corte paraguaia a declaração de inconstitucionalidade do processo para que ele fosse retirado do cargo. Apesar de acatar a decisão do Parlamento, Lugo garante que continuará lutando em outras instância para que retorne ao poder.

* Rosalba lembra contribuição do RN para nova matriz energética brasileira.

A referência feita pela presidente Dilma Rousseff, na Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) sobre o esforço do Brasil para uma matriz energética limpa, fez a governadora Rosalba lembrar a contribuição importante do Rio Grande do Norte.

A presidente destacou que as fontes renováveis respondem por 45% de toda energia que consumimos. E nesse contexto, o Rio Grande do Norte está inserido como um dos maiores Estados geradores de energia eólica. O RN tem cerca de 100 parques eólicos e capacidade para gerar 34% da energia do país.

Outra fonte de energia renovável é a solar. Para gerar ambiente sadio e equilibrado, o governo planeja utilizar esse tipo de energia em alguns pontos de iluminação publica, além de ampliar o uso no campo como mecanismo de desenvolvimento limpo, utilizando dessalinizadores para ofertar água de qualidade para consumo, irrigação e criação de peixes.

“A presença do governo é fundamental para a consolidação dessa nova matriz energética seja com investimentos públicos ou apoiando iniciativas privadas”, completou Rosalba.
 Rosalba Ciarlini no (Rio + 20).

* Apoio dos Alves a Paulo Brasil mexeu com as estruturas petistas.

O apoio público, inesperado, de Eugênio e Juninho Alves a pré candidatura de Paulo Brasil (PR), mexeu com as estruturas petistas em pró da médica Velúzia Gurgel (PT), desde as primeiras horas da manhã é intensa a tentativa por parte da cúpula petista, de manter sua militância em favor da pré candidatura da médica Velúzia Gurgel (PT).

De todas as formas os partidários, pró Velúzia, estão buscando de forma desesperada desqualificar o apoio dos irmãos Alves a postulação republicana. Na verdade existia uma expectativa muito grande da junção PT/PR e que em um futuro próximo o gesto feito pelos Alves ontem (21), fosse feito para Velúzia Gurgel, isso não aconteceu.

O apoio dos Alves só teve novidade porque eles assumiram de público, mas toda Caraúbas já sabia que eles votavam em Paulo Brasil (PR). O PT deve buscar agora outra formula para alavancar a candidatura da médica, pois os eugenista ou a sua grande maioria ela já perdeu.

Apesar do anúncio, cúpula petista continua com a campanha da médica Velúzia Gurgel (PT).
Candidatura de Velúzia foi abalada.

* Wilma é candidata a vice de Carlos. Critica Rosalba, Micarla e aliança está feita para 2014.

A ex-governadora Wilma de Faria definiu que a chapa do ex-prefeito Carlos Eduardo é uma união por Natal.
“Hoje sentimos que a Prefeitura está de costas para o povo. Precisamos resgatar Natal, é um desafio imenso. Vamos integrar os esforços de todos os partidos”, disse.

Ela afirmou que o ex-prefeito Carlos Eduardo durante o período em que esteve a frente da Prefeitura foi bem avaliado. “Foi aplaudido pela população e, na verdade, ficou com saudades dos trabalho que ele executou lá”, cometou.

Wilma ma evitfalar em 2014 e critica Micarla

A ex-governadora Wilma de Faria evitou falar sobre o pleito 2014. Ele definiu como “especulação”. 

“Hoje vamos falar sobre o pleito 2012. Vamos falar de 2012. Estou pronta para servir. A decisão foi por amor a Natal e para que possamos resgatar a cidade do caos administrativo”, comentou.

Gesto de Wilma foi de desprendimento, diz Carlos Eduardo

O ex-prefeito Carlos Eduardo, pré-candidato a prefeito pelo PDT, disse que a decisão de Wilma de Faria ser candidata a vice-prefeita foi um gesto de desprendimento.
“Poucos aceitariam ser vice, já foi governadora três vezes. Ela aceitar é um gesto de desprendimento, espírito público. Espírito público que falta muito na vida pública brasileira. É um exemplo para a atual geração política e para as futuras”, comentou.

Wilma volta a criticar Rosalba

Durante entrevista coletiva em que anuncia a candidatura a vice-prefeita, Wilma de Faria lembrou que “foi ela que trouxe a Copa do Mundo para Natal”. Ela lembrou que as obras de mobilidade urbana estão paradas e destacou que “a situação é gravíssima”.

“A população precisa ter uma saúde que funcione. O principal problema apontado pelas pesquisas é a questão da saúde. O Estado vive isso e Natal vive isso”, comentou.
Wilma e Carlos juntos em 2014
A ex-governadora Wilma de Faria confirmou que as alianças de 2012 poderão levar a 2014. A informação foi cofirmada por Carlos Eduardo.
“Conversamos pelas decisões do Estado, pelas decisões do município. Mas não vamos especular agora”, disse Wilma de Faria.

O ex-prefeito Carlos Eduardo foi mais além: “Estamos juntos em 2012 e estaremos juntos em 2014. Mas vamos cuidar primeiro de 2012. A primeira eleição, mas com certeza chegaremos juntos e ampliados em 2014”.

Wilma diz que vai se dividir entre Natal e o interior

A ex-governadora Wilma de Faria afirmou que a eleição em Natal não a impedirá de participar do pleito de outros municípios, enquanto presidente estadual do PSB. Ela disse que irá se dividir.

“Vou me dividir. Não vou deixar de ser presidente estaudal do PSB. Vou dar apoio, vou fazer o trabalho em Natal, estar a disposição, cumprir minha missão, somar com o pré-candidato, mas também darei apoio e dividir com o presidente estadual do partido”, comentou Wilma de Faria.
20120622-130206.jpg
 Campanha de Natal praticamente decidida.
Panorama Político

* Audiência pública reconhece que greve da UERN é justa e legítima.

A greve de professores e funcionários da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) é justa e legítima. Essa foi a conclusão a que chegou a audiência pública realizada na tarde desta quinta feira, 21, na Assembleia Legislativa, de acordo com depoimentos de representantes do governo do estado, professores, dirigentes e estudantes da instituição.

Na audiência, realizada por proposição do deputado Fernando Mineiro-PT foram apresentados dados que indicam que do ano passado para cá já são 155 dias de greve contra apenas 134 de aulas.

De acordo com professores e alunos, a greve atual foi gerada pelo próprio governo que não cumpriu uma proposta elaborada por ele em setembro do ano passado, para o encerramento da greve anterior. “Quem tem obrigação de encontrar uma solução é o governo. A crise não é da UERN é do governo. O nosso desejo é encontrar uma saída, mas está faltando diálogo”, afirmaram.

Ao final ficou acertado que na próxima segunda feira vai haver um encontro entre uma representação dos grevistas com o secretário de Administração do Estado.