quinta-feira, 9 de agosto de 2012

* Prefeitura de Caraúbas/RN está realizando mais uma etapa no combate ao Calazar.

Na manhã de hoje (09), a Prefeitura Municipal  de Caraúbas/RN, através da Secretária Municipal de Saúde deu inicio a terceira etapa para o combate ao calazar em nosso município.

Em uma primeira etapa foi realizado a coleta do sangue dos cachorros, posteriormente foi feito um exame para saber se o animal estaria infectado ou não, e por último os cachorros que foram constatados com a doença que pode ser transmitida para os seres humanos  tiveram que ser sacrificados.

Com isso, na manhã desta quinta, uma equipe da Secretaria de Saúde, procurou e dentro de todos os padrões exigidos pelo Ministério da Saúde, realizou os sacrifícios de vários animais que foram constatados com a doença.
Equipe de combate.
 PMC.

* SUS terá vacina contra catapora a partir de 2013.

O Sistema Único de Saúde (SUS) terá vacina contra a catapora a partir de 2013. A parceria firmada no último sábado (04) entre o Ministério da Saúde, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o laboratório privado britânico GlaxoSmithKline (GSK) possibilitará a produção nacional da vacina tetra viral, que vai imunizar as crianças contra quatro doenças – caxumba, rubéola e sarampo, já inseridos na tríplice viral, ofertada no SUS desde 1992 -, e a varicela, conhecida como catapora.

A vacina será disponibilizada no Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde a partir de agosto de 2013. A tetra viral será aplicada em duas doses: a primeira aos 12 meses, e a segunda, aos quatro anos de idade.

* Juíza proíbe carreatas e passeatas em Itaú.

Com o acirramento da campanha na cidade de Itaú e com os últimos acontecimentos, a juíza da comarca de Apodi – Ana Clarisse Arruda Pereira – resolveu proibir passeatas e carreatas naquela cidade no período de 9 a 23 de agosto.

Essa decisão foi tomada pela portaria 06/2012, e ocorreu fundamentada no ofício 102/2012 da 2ª Companhia de Polícia Militar que relatou a ocorrência de perturbação da ordem pública.

O descumprimento dessa norma acarretará em multa de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) para a coligação que desrespeitar a portaria.

* PMDB e PT ratificam acordo para rodízio na presidência da Câmara.

O líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (RN), participou nesta quarta-feira, 08, do ato em que o PMDB e PT ratificaram acordo, firmado em novembro de 2010, para que os dois maiores partidos da Câmara dos Deputados se revezassem na presidência da casa. Atualmente a Câmara dos Deputados está sob o comando do deputado Marco Maia (PT-RS).

O presidente do PMDB, Valdir Raupp destacou que já existe unanimidade do partido em torno do nome de Henrique Alves como candidato. A bancada do PMDB vai se reunir após as eleições municipais para homologar a candidatura. O líder do PMDB, Henrique Alves, disse que o ato, com a presença dos líderes das duas maiores bancadas, representava apenas o pontapé de uma longa caminhada em que ele vai buscar, individualmente, o apoio de todos os parlamentares dos diferentes partidos, em busca da candidatura única.

O presidente do PT, Rui Falcão, fez questão de comparecer à presidência do PMDB e, ao lado do presidente do partido, senador Valdir Raupp (RO), reforçou: “o PT é um partido que tem palavra e acordo político é para ser cumprido”. O vice-presidente da República, Michel Temer, signatário do acordo quando presidia o PMDB e José Eduardo Dutra, o PT, ressaltou a simbologia do ato como sinônimo da integração entre o PMDB e o PT no governo.

* O temor da retomada da violência na campanha política no RN.

Passado o primeiro mês de campanha eleitoral, o acirramento da disputa política no interior do estado já começou a provocar os primeiros atos de violência. O primeiro caso de suspeita de assassinato por causa da disputa ocorreu no município de Pau dos Ferros, onde um militante peemedebista morreu após ser atropelado em movimentação política. A vítima era conhecida como Tico do Perímetro. O fato provocou o pedido de reforço policial para o município durante a campanha, feito pelo deputado estadual Gustavo Fernandes (PMDB).

“Chega de violência. É preciso pôr um fim nessa tendência ao vandalismo. É inadmissível que as eleições tenham esse clima aguerrido. Pretendemos ter uma manifestação pacífica e calma, para que cada candidato possa levar suas propostas aos cidadãos. Tenho a obrigação de fazer essa denúncia aqui, não só pela dor de perder um amigo, mas pela sua família, para que não aconteça mais essa violência”, desabafou o peemedebista.

Ontem, o deputado estadual Getúlio Rego (DEM), adversário de Gustavo em Pau dos Ferros, disse que o episódio não teve conotação política. “Nossa vida pública sempre foi pautada pelo trabalho e pelo cumprimento da norma legal. As lideranças políticas de Pau dos Ferros nunca incitaram a violência e nem transformaram a disputa política numa queda de braço. Sempre apresentamos ideias, propostas e respeito ao pleito coletivo”, rebateu o parlamentar.

Nos outros municípios do estado, ainda não foram registrados acidentes mais graves. Temendo o acirramento da campanha eleitoral, juízes eleitorais responsáveis por 105 municípios do Rio Grande do Norte já solicitaram reforço de tropas federais para as eleições. Os pedidos foram encaminhados ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que aguarda uma resposta da governadora Rosalba Ciarlini (DEM), desde o dia 27 de julho, para enviar os pedidos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O TRE fez uma consulta à governadora para saber se existe condições de, somente com a Polícia Militar (PM), o Estado conceder reforço aos municípios que requereram maior segurança. Em caso de a governadora declarar que o Estado não tem como atender a demanda, o TRE solicitará as tropas federais ao Tribunal Superior Eleitoral. Os juízes alegam que o contingente policial dessas cidades é pouco para o período de eleições.

De acordo com a assessoria de imprensa do TRE, Rosalba Ciarlini ainda não se posicionou sobre o assunto. Enquanto isso, os juízes eleitorais aguardam. Nossa equipe de reportagem entrou em contato com o governo do estado para questionar sobre o posicionamento referente o assunto. No entanto, a assessoria de comunicação não soube informa e o secretário do Gabinete Civil, Anselmo Carvalho, não atendeu nossas ligações.
Do Diário de Natal