domingo, 23 de setembro de 2012

* Sucessão em Mossoró, pesquisa Vox Populi mostra Larissa Rosado com 45% e Cláudia Regina com 39%.

Pesquisa registrada para o pleito de Mossoró. Vox Populi, divulgada hoje pela Gazeta do Oeste mostra Larissa Rosado com 45% e Cláudia Regina com 39%.

A pesquisa está registrada com o número 126/2012. A margem de erro é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos.

ESTIMULADA:
Larissa Rosado (PSB) – 45%
Cláudia Regina (DEM) – 39%
Josué Moreira (PSDC) – 2%
Cinquentinha (Psol) – 1%
Edinaldo Calixto (PRTB) – 0%
Ninguém/Branco/Nulo – 4%
Indeciso – 9%

ESPONTÂNEA
Larissa Rosado (PSB) – 43%
Cláudia Regina (DEM) – 36%
Cinquentinha (Psol) – 1%
Josué Moreira (PSDC) – 1%
Edinaldo Calixto (PRTB) – 0%
Ninguém/Branco/Nulo – 4%
Indeciso – 15%.

* Ademar sai as ruas...

Logo mais a partir das 19h, a nação bacurau irá sair as ruas mais uma vez.

A festa do 15 começa no posto JP, onde de lá o povão 15 sairá pelas principais ruas da cidade em mais grande arrastão da coligação "Vitória do povo".

A coordenação da campanha promete uma surpresa para a noite de hoje.

Após a passeata o candidato Ademar e os demais caravaneiros realizarão um grande comício na praça Elisabeth Elita no bairro Leandro Bezerra.
O multidão 15 nas ruas...

* Deputado propõe “Fila Zero” para realização de exames especiais.

“Fila Zero”. Esse é o título do programa que o deputado Poti Júnior-PMDB pretende ver implantado pelo governo do Estado, conforme Projeto de Lei de sua autoria, protocolado na Mesa Diretora de Assembleia Legislativa.

O Programa trata da realização de exames de tomografia, ressonância magnética e tratamento de quimioterapia, no atendimento aos pacientes dos hospitais públicos estaduais e dos conveniados com o Sistema Único de Saúde – SUS.

O “Fila Zero” consiste na obrigatoriedade dos hospitais públicos estaduais e dos conveniados com o Sistema Único de Saúde em priorizar o atendimento aos pacientes que necessitem desses exames, no prazo máximo de 72 horas.

“A proposição visa a alcançar pessoas portadoras de doenças graves, proporcionando um mínimo de dignidade, eliminando as filas para realização de exames de Tomografia, Quimioterapia e Ressonância Magnética, no atendimento aos pacientes dos hospitais públicos estaduais e dos conveniados com o SUS”, justificou.

* No RN, SUS depende da terceirização para funcionar.

As cooperativas médicas foram criadas, inicialmente, para atuar junto aos planos de saúde. Mas hoje, aproximadamente uma década após suas implantações, atuam fortemente na área de saúde pública no Rio Grande do Norte. As duas principais instituições do Estado - Coopmed e Coopanest - aumentaram, aproximadamente, dez vezes a quantidade de associados e, hoje,  trabalham em todas as unidades públicas - municipais e estaduais - de Natal. A falta de investimento na contratação de pessoal para a área de saúde pública e o colapso das unidades municipais e estaduais nos últimos anos, ressaltaram o nível de "dependência" do Sistema Único de Saúde ao serviço prestado por profissionais que se organizaram e escolhem quanto custa e a quem oferecer seus serviços.

* Dilma reage a declarações do relator.

Irritada com a menção de seu nome para reforçar a existência do mensalão e a compra de voto no Congresso, a presidenta Dilma Rousseff divulgou ontem nota oficial para responder o relator da ação no Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. Na resposta, a presidente polarizou ainda com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ao se referir ao "apagão".

O relator se valeu de um trecho do depoimento de Dilma Rousseff no processo para reforçar a tese da Procuradoria-Geral da República. Em depoimento à Justiça, em 2009, a então ministra-chefe da Casa Civil disse que ficou "surpresa" com a rapidez da votação do marco regulatório do setor elétrico. Em seu voto, Joaquim Barbosa indicou que essa rapidez poderia ter como razão a compra de apoio no Congresso durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

De acordo com integrantes do governo, o depoimento foi tirado do contexto pelo relator durante a sessão de quinta-feira no STF. "Creio ser necessário alguns esclarecimentos que eliminem qualquer sombra de dúvidas acerca das minhas declarações, dentro dos princípios do absoluto respeito que marcam as relações entre os Poderes Executivo e Judiciário", afirmou a presidenta na nota.
Joaquim Barbosa, relator do processo, apontou indícios de compra de votos no Congresso 
Joaquim Barbosa, relator do processo, apontou indícios de compra de votos no Congresso.