quinta-feira, 15 de novembro de 2012

* Dilma diz que ensino técnico é o caminho para aumentar a competitividade do país.

A presidenta Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira (14) que o governo quer acertar cada vez mais parcerias com setores privados para ampliar o número de vagas no ensino profissionalizante. Dilma Rousseff salientou que essa união “dá um passo para assegurar mais competitividade ao país [no mercado internacional]”.

“Agregar conhecimento é o grande diferencial do século 21”, disse, ao discursar na 7ª Olimpíada do Conhecimento, evento que prossegue até o próximo dia18, no Pavilhão de Exposições do Parque Anhembi, na zona norte da cidade.“São momentos como este que mostram que o nosso país vem avançando no modo correto, que é o rumo da educação,”acrescentou.

Para a presidenta, tem sido exitoso o investimento no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), instituído em parceria com o Sistema S (Sesi, Senai, Senac e Sesc), na formação de jovens em cursos técnicos profissionalizantes. De acordo com a presidenta, a meta é ofertar 8 milhões de vagas até 2014. A abertura da maior parte dos 2,2 milhões de vagas, em pouco mais de um ano, ocorreu graças à parceria com a indústria.

Durante a visita da presidenta, foi assinado documento para que São Paulo sedie a Competição Mundial de Formação Profissional, WorldSkills, em 2015. Dos 640 estudantes que participam da Olimpíada, 42 serão selecionados para a edição do evento do ano que vem, em Leipzig, na Alemanha, quando 216 estudantes de 20 países das Américas irão disputar em 34 ocupações profissionais. Na edição anterior, em Londres, o Brasil ficou em segundo lugar, atrás apenas da Coreia do Sul.

* Ótima iniciativa: No RN, 502,7 mil estudantes terão atendimento oftalmológico.

Entre 2012 e 2014, será feita busca ativa nas escolas públicas do estado para identificar e tratar problemas de refração e outras doenças secundárias relacionadas à visão.

Oferecer tratamento oftalmológico integral, ampliar a capacidade instalada de atendimento no país, com formação de cadastro nacional de estabelecimentos privados e públicos especializados na área de oftalmologia, além de reajustar valores de procedimentos na tabela do Sistema Único de Saúde (SUS). Estas são as principais novidades do novo projeto Olhar Brasil, desenvolvido pelo Ministério da Saúde em parceria com o Ministério da Educação. Com nova redefinição, o projeto estima atender até 2014, 502.777 crianças, jovens e adultos matriculados na rede pública e inseridos nos programas Saúde na Escola (PSE) e Brasil Alfabetizado (PBA) no Rio Grande do Norte.

Para isso, o Ministério da Saúde está ampliando e qualificando a assistência oferecida pelo projeto Olhar Brasil. Uma das medidas será a contratação de estabelecimentos de saúde privados e públicos para atender mais de quatro milhões de consultas e exames oftalmológicos. Com a formação de um cadastro nacional de estabelecimentos de saúde – públicos e privados -pretende-se aumentar a capacidade instalada de atendimento e reduzir as filas de espera. A inscrição dos serviços deve ser feito na internet pelo link que consta no Edital, publicado no dia 1º de novembro no Diário Oficial da União. O cadastro ficará disponível em um site para consulta dos gestores responsáveis pela contratação dos serviços.

“A oferta e o acesso de serviços oftalmológicos de qualidade e especializados são decisivos para quem quer ler e escrever, e representa qualidade educacional para a criança, já que passa a ter maior capacidade para aproveitar seu potencial e, com isso, inclusive, ascender socialmente. Muitas pessoas não aprendem a escrever e desistem do programa de alfabetização justamente porque não consegue enxergar”, ressalta o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. O Ministério da Saúde estima atender até 2014, 10, 5 milhões de crianças, jovens e adultos matriculados no PSE e PBA em todo o país.

* Filho de Garibaldi critica ‘desarticulação’ e revela insatisfação do PMDB com DEM.

O líder do PMDB na Assembleia Legislativa, deputado estadual Walter Alves, filho do ministro da Previdência, Garibaldi Filho (PMDB), apontou a insatisfação do partido em relação ao governo Rosalba Ciarlini (DEM) como um dos motivos da avaliação que a legenda promoverá internamente, provavelmente em março do próximo ano, para discutir se deixa ou se permanece na base de apoio político do governo. Walter Alves também criticou a desarticulação do governo, que estaria causando o distanciamento do PMDB da administração. “Está havendo uma desarticulação política pelo governo, e isso está causando o distanciamento do PMDB. Mas é um assunto para ser discutido, como disse o ministro Garibaldi, pelo presidente da nossa legenda, o deputado federal Henrique Eduardo Alves, que deverá convocar o partido no começo do próximo ano”, afirmou Walter Alves.

O PMDB é considerado o principal aliado político do governo Rosalba Ciarlini. Contudo, o partido não estaria sendo ouvido sobre a gestão administrativa e indicou apenas um secretário (Trabalho, Habitação e Assistência Social), além de um presidente de empresa pública (Potigás). Ontem, em entrevista ao Jornal de Hoje, o ministro da Previdência confirmou que a legenda irá discutir a aliança com o governo Rosalba no próximo ano, não descartou rompimento e até afirmou ser natural a discussão interna sobre o lançamento de um candidato a governador pela legenda.

Para Walter Alves, pelo peso, tamanho e importância do PMDB, o partido deveria ser mais ouvido pela administração Rosalba Ciarlini. “O PMDB tem dois senadores, um deputado federal, cinco deputados estaduais, 52 prefeitos, 33 vice-prefeitos e 336 vereadores. É o maior partido do estado. Temos que consultar as nossas bases porque existe uma insatisfação perante a desarticulação política do governo, com relação aos prefeitos do interior”, completou Walter Alves.

Blog: Rola na boca pequena que Walter Alves pode vim a ser candidato a governador em 2014...

Anotem,  aguardem...
PMDB próximo do fim com a Rosa.