domingo, 27 de janeiro de 2013

* Capa da revista veja...


lula veja fevereiro

* Para pensar...

* Senado elege novo presidente na sexta-feira.

Por maioria simples de votos, com a presença da maioria absoluta dos senadores (41), o Senado elege na próxima sexta-feira (1º) seu novo presidente. A eleição ocorre em reunião preparatória marcada para as 10h, no Plenário da Casa e será comandada pelo atual presidente, com ajuda dos atuais integrantes da Mesa.

Os candidatos ao cargo de presidente podem se apresentar previamente ou apenas no momento da sessão. Segundo explica a secretária-geral da Mesa, Claudia Lyra, as candidaturas podem ser formalizadas por qualquer meio: por ofício encaminhado à Mesa antes da sessão, manifestação oral antes da votação, indicação de bancada ou de lideranças partidárias ou de forma avulsa, por um senador independente.

Em caso de uma única candidatura, a votação, secreta, se dá no painel eletrônico do Senado. Para disputas com mais de um candidato são usadas cédulas de papel com os nomes de todos os postulantes à vaga. Cada senador recebe uma cédula de votação, devidamente rubricada pelo presidente, marca seu escolhido e deposita a cédula na urna de votações.

Para dar início à eleição é necessária a presença de 41 senadores em Plenário. Ao longo do processo de votação não há possibilidade de discursos ou apartes, a não ser para intervenções relacionadas ao assunto ou para que os próprios candidatos defendam suas candidaturas.

* Carnaval de Apodi...


* TCE: "Festa só depois do estado de calamidade".

Na próxima quinta-feira será encerrado o  prazo para os novos prefeitos entregarem relatório ao Tribunal de Contas do Estado apontando detalhes sobre como encontraram as administrações. Para o procurador-geral do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Estado, Luciano Ramos, a resolução que determina aos novos prefeitos entregarem o relatório ao TCE é uma medida para evitar que a Corte adote as providências contra os maus gestores em um tempo mais demorado. "Para que a situação não seja projetada para o futuro, foi fixado o 31 de janeiro para emitir relatório dando exata definição para a situação encontrada pelo atual gestor. Com isso, o TCE poderá buscar os antigos gestores que não se portaram como deveriam", explica o procurador. Aos novos gestores ele alerta: a recomendação do MP sobre os gastos com as festas de carnaval, é aplicável também a todas as promoções realizadas pelo município.

Para o procurador-geral, o Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Estado ao recomendar aos prefeitos priorizar os gastos com as necessidades que ensejam os decretos de calamidade, está já apontando o norte das fiscalizações que serão feitas. Sobre a tomada de contas especial que será feita na Prefeitura do Natal, a inspeção nos contratos do instituto Marca e os decretos de calamidade das prefeituras, o procurador-geral junto ao Tribunal de Contas do Estado, Luciano Ramos

* Entrada de novos peemedebistas no governo deve evitar rompimento.

O Jornal de Hoje noticia que o provável rompimento político do PMDB com o governo Rosalba Ciarlini, do DEM, não acontecerá agora numa decisão estratégica dos líderes peemedebista, segundo fontes do partido, mesmo sendo o senador Garibaldi Filho, sua principal referência eleitoral, defensor do afastamento do PMDB com o governo motivado por insatisfações e reclamações generalizadas de correligionários e aliados, também, nos diversos municípios do Rio Grande do Norte. Em função disso, cresce a tese de candidatura própria do PMDB, através de declarações públicas dos líderes peemedebistas.

Já se pronunciaram favoráveis a uma candidatura própria do PMDB ao Governo do Estado, lideranças como os deputados Hermano Morais e Gustavo Fernandes, ex-deputado Álvaro Dias, vereador de Caicó, Raimundo Inácio (Lobão), atual presidente da Câmara Municipal, e o secretário-geral do partido, ex-deputado Elias Fernandes, todos citando Garibaldi Filho, Henrique Eduardo e Walter Alves como nomes fortes eleitoralmente que poderão ser convocados pelo partido para uma candidatura a governador em 2014, caso o PMDB decida romper politicamente com Rosalba Ciarlini e afaste-se do seu  governo.

Com o possível retardamento na decisão de rompimento político com o governo, o PMDB deverá ter o seu espaço ampliado na administração da mossoroense Rosalba Ciarlini, atualmente restrito a presença do professor Luiz Eduardo Carneiro Costa na SETHAS, mesmo sabendo-se que a indicação foi mais pessoal do senador Garibaldi Filho, do que partidária. Fala-se agora, que o engenheiro Elias Fernandes, ligado politicamente ao deputado Henrique Eduardo, será secretário de Recursos Hídricos no lugar de Gilberto Jales, que seria remanejado para outra função dentro do governo. Elias Fernandes é um quadro qualificado do PMDB, que foi diretor-geral do DNOCS, conhece a realidade hídrica do Estado e já ocupou o cargo no governo José Agripino. Perguntado sobre a possibilidade de assumir a secretaria, Elias Fernandes informou não ter conhecimento de nada sobre o assunto.