sexta-feira, 15 de março de 2013

* Prefeitura de Caraúbas recebe projeto da UFERSA para aproveitar águas das chuvas.

Na manhã de ontem (14), na sede do poder legislativo caraubense, a Profª Edna Linhares, coordenadora do Campus UFERSA/Caraúbas, entregou ao secretário de infra-estrututura do município de Caraúbas, Sr. Keyoshe Targino, um projeto feito pela UFERSA na perspectiva de aproveitar as águas advindas das chuvas nas praças públicas do município de Caraúbas.

Esse projeto busca aproveitar as águas provenientes das precipitações em cisternas de armazenamento que serão construídas nas praças públicas do município de Caraúbas.

A iniciativa foi do prefeito Ademar Ferreira, através do secretário Keyoshe, que solicitou da Universidade a elaboração do projeto. A partir de agora a municipalidade irá estudar o projeto e posterior aplicação do mesmo.

Em suas palavras a Profª Edna externou a necessidade do aproveitamento das águas das chuvas para o arboriza a cidade.

Já o secretário keyoshe ressaltou a grandiosidade do projeto e convidou a UFERSA a participar da construção do projeto de saneamento básico do município de Caraúbas.
 Engenheiros Wendel Rossine e Kleber Cavalcante, Keyoshe e Profª Edna Linhares.

* Boa iniciativa: Produtores do Nordeste afetados pela seca poderão ter perdão da dívida.

A presidente Dilma Rousseff, afirmou, na quarta, dia 13, que o Conselho Monetário Nacional (CMN) vai avaliar o perdão da dívida de agricultores atingidos pela seca no Nordeste.

– Estamos avaliando o pleito de perdão da dívida; isso não está decidido, está sendo olhado com cuidado e carinho pelo CMN, que irá avaliar essa questão – afirmou a presidente, que esteve presente em Alagoas para inauguração de trechos do canal do sertão, obras para o transporte de água no Estado.

Dilma lembrou que, diante a persistência da estiagem na região, os vencimentos de dívidas tomadas e vencidas no período foram prorrogadas até 1º de julho, sem juros e sem multa.

* TelexFree: Ministério da Fazenda pede investigação federal sobre suposto esquema de pirâmide financeira.

A Secretaria de Assuntos Econômicos (Seae) do Ministério da Fazenda pediu que a Polícia Federal e o Ministério Público Federal investiguem a empresa norte-americana Telexfree e a empresa Ympactus Comercial LTDA, responsável pelas atividades da multinacional no Brasil. Em nota oficial, a secretaria informou ter detectado indícios de que as duas companhias pratiquem esquema de pirâmide financeira.

“A oferta de ganhos altos e rápidos, proporcionados principalmente pelo recrutamento de novos entrantes para a rede, o pagamento de comissões excessivas, acima das receitas advindas de vendas de bens reais e a não sustentabilidade do modelo de negócio desenvolvido pela organização sugerem um esquema de pirâmide financeira, o que é crime contra a economia popular”, destaca o comunicado.

A Seae informou ainda ter detectado suspeitas de que as duas empresas estimulem a economia informal e contrariem a legislação trabalhista, ao exigir a prática de duas atividades – comerciante e divulgador – e pagar apenas uma. O órgão também ressaltou que a empresa não está autorizada a atuar no ramo de comércio, nem tem relação com operadoras de telefonia fixa ou paga.

Com promessas de retorno expressivo em pouco tempo, os esquemas de pirâmide financeira são considerados ilegais porque só são vantajosos enquanto atraem novos investidores. Assim que os aplicadores param de entrar, o esquema não tem como cobrir os retornos prometidos e entra em colapso.

Atuando no Brasil desde março de 2012, o Telexfree vende planos de minutos de telefonia voz sobre protocolo de internet (VoIP na sigla em inglês), que permitem ligações ilimitadas para 41 países por US$ 49 mensais. As empresas, no entanto, também oferecem promessas de ganho para quem atuar como promotor do serviço, postando diariamente anúncios em sites de classificados e redes sociais e recebendo comissão sobre as vendas.

* Destaque: Prefeitura de Caraúbas inicia luta por parque tecnológico.

Deu em Robson Pires...

A prefeitura de Caraúbas se reuniu na manhã de ontem (14) com técnicos, coordenadores e demais profissionais da Universidade Federal do Semiárido (UFERSA), para discutir as possibilidades da implantação de um parque tecnológico no município.

O assunto já vem sendo detalhado há algum tempo entre a UFERSA e o prefeito Ademar Ferreira. O parque tecnológico é uma concentração geográfica de empresas, instituições de ensino, incubadoras de negócios, centros de pesquisa e laboratórios que criam um ambiente favorável à inovação tecnológica.

À medida que passam a compartilhar do mesmo ambiente, empresas, universidades, centros de pesquisa e investidores geram benefícios econômicos para seus participantes e para as comunidades, devido à colaboração entre seus participantes e as instituições parceiras.

Para isso, o prefeito pretende mobilizar parceiros políticos e empresariais, entre outros, na perspectiva de ter mais esse benefício secular para o desenvolvimento não só de Caraúbas mais de toda região.
centro tecnologico caraubas
Reunião entre a UFERSA, Prefeitura e Câmara Municipal.

* Rosalba evita comentar declarações de Henrique Alves, presidente da Câmara Federal.

A imprensa mossoroense destacou que a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) disse que não viu as declarações do presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves (PMDB), fazendo críticas ao governo e afirmando que se não houver mudanças até o fim do mês o rompimento se concretizará.

O desconhecimento foi externado ao O Jornal de Hoje, quando ela disse não ter lido nada sobre as declarações de Henrique em coletiva realizada na última segunda-feira. “O que foi que ele disse? Nem fiquei sabendo”, afirmou.

A postura da governadora indica uma estratégia para evitar um confronto com o líder do PMDB. Ela tem evitado polemizar com o partido desde o final do ano passado, quando lideranças da legenda passaram a externar críticas ao governo.

Mas, na mesma manhã em que Henrique disse que se não houvesse uma mudança no governo até março poderia haver rompimento, Rosalba cancelou uma visita que faria com o presidente da Câmara ao Aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

Na coletiva de segunda-feira, Henrique Alves disse ainda que o governo precisa de uma nova mentalidade. “Naquela reunião houve o entendimento de que era preciso a governadora abrir o seu grupo. Na nossa avaliação, o governo é muito isolado, muito distante da base. Não é um governo com base política consolidada. A governadora admitiu isso e abriu-se para um diálogo novo”, frisou.

Está prevista para amanhã uma reunião com líderes do PMDB, DEM, PMN e PR na casa do senador José Agripino (DEM). Na pauta: a divisão do poder no Estado. Espera-se que a partir desse encontro saia uma reforma administrativa.