quarta-feira, 28 de agosto de 2013

* Ex-prefeita de Messias Targino assume a Secretaria de Ação Social.

A ex-prefeita de Messias Targino, Shirley Targino, foi nomeada secretária estadual de Trabalho e Ação Social, cargo antes ocupado por Luiz Eduardo Carneiro.

Shirley Targino é filiada ao PR e antes ocupava o cargo de assessora especial da governadora Rosalba Ciarlini. A nomeação foi publicada no Diário Oficial de hoje. Embora  integrante do partido presidido pelo deputado federal João Maia, Shirley é da cota pessoal da governadora Rosalba Ciarlini.

* Leonardo Nogueira: Rosalba é candidata a reeleição.

O deputado estadual Leonardo Nogueira afirmou hoje que a governadora Rosalba Ciarlini já assume a candidatura a reeleição.
 
“Todos dizem e eu também acho que não é fácil. Ela (Rosalba Ciarlini) tem repetido e não tem deixado margem de que ela é candidata a reeleição e como também ela espera o apoio de todos os partidos”, disse o deputado. 

Lembramos aos leitores que dias atrás o deputado Leonardo lançou Agripino para o governo.

Assim é aguardar que será o próximo nome que o parlamentar irá lançar!

* Nomeados os novos integrantes da Secretaria de Comunicação.

O Diário Oficial de hoje traz as nomeações dos novos integrantes da Secretaria de Comunicação.  O jornalista Paulo Araújo voltou para a titularidade da pasta.

Glácia Marilac será a nova adjunta da Comunicação.

*Autoridades discutem medidas de segurança para combater assaltos a estabelecimentos em Caraúbas.

Autoridades do município de Caraúbas se reuniram na noite desta terça-feira (27) na Câmara Municipal dos Vereadores para traçar estratégias de prevenção e combate aos constantes assaltos e invasões a estabelecimentos comerciais de nossa cidade. Os crimes vêm causando grande apreensão e prejuízos aos comerciantes.

Participaram da reunião o prefeito Ademar Ferreira (PMDB), o presidente da Câmara Novinho Praxedes, o presidente da Câmara De Dirigentes Lojistas De Caraúbas, o contador Haroldo Gurgel, o comandante da 3ª CIA de Polícia Militar de Caraúbas – RN, Capitão Paulo César de Carvalho – Cap. Carvalho e alguns secretários e vereadores.

O Cap. Carvalho, mostrou o mapa de ocorrência, a pontando os principais setores de atuação de determinadas ocorrência na cidade de Caraúbas/RN, como os locais onde tem o maior número de homicídio, acidentes de trânsitos com vítimas, tráfico de drogas, assaltos, tentativa de assalto, porte ilegal de armas, fugas do presidio, embriaguez alcoólica no trânsito, menor ao volante, lesão corporal, roubo de veículo e veículo recuperados, tudo isso com um efetivo reduzido para atender a zona urbana e rural. 

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Caraúbas, o contador Haroldo Gurgel, perguntou a Cap. Carvalho, o que pode ser feito para melhorar a situação da segurança do comércio de Caraúbas, pois a nossa expectativa é que, desta reunião, possamos encontrar soluções para combater essa onda de violência, que só está trazendo prejuízos para todos”, afirmou o presidente da CDL de Caraúbas.

O Cap. Carvalho, disse que era preciso um efetivo exclusivo nas áreas comerciais da cidade, para que se tenha uma ação preventiva com maior eficiência. Este efetivo teria um número telefônico disponível para atendimento das ocorrências. 

Muitos empresários e autoridades deram sua opinião e ficou definido que na próxima sexta -feira a partir das 19h20min, na Câmara de Vereadores, acontecerá mais uma reunião para definir alguns pontos importantes que foram apresentando hoje, como uma parceria entre a Policia Militar, Lojistas e a Prefeitura de Caraúbas, será colocado um efetivo exclusivo para a área comercial da cidade e o monitoramento eletrônico.

Os comerciantes reclamaram das dificuldade de se fazer Boletins de Ocorrência Policial, principalmente neste período que a polícia civil está em greve e, uma parceria entre a polícia militar e a prefeitura de Caraúbas garantiu a realização do B.O. que será realizada das 08hs às 12hs na 3ª CIA de Polícia Militar de Caraúbas.
j
 Parte do público...
Capitão Carvalho.
Icem.

* Ministros do TSE criticam estratégia de Marina e Rede fica ameaçada.

Ministros do Tribunal Superior Eleitoral rechaçaram nesta terça-feira, 27, o pedido da ex-senadora Marina Silva para que seu partido, a Rede Sustentabilidade, seja registrado sem a certificação das 492 mil assinaturas necessárias para isso.

De acordo com integrantes do TSE, Marina tenta, com o pedido, jogar para a Justiça Eleitoral a responsabilidade por um eventual fracasso na sua tentativa de criar um novo partido para disputar as eleições de 2014. Com as reclamações que tem feito publicamente sobre a demora dos cartórios eleitorais em verificar a validade das assinaturas de apoio à nova legenda, Marina busca, segundo ministros consultados pelo Estado, se fazer de vítima e constranger a corte a abrir uma exceção às regras para beneficiá-la.

* Igreja ainda deve R$ 45 milhões a fornecedores da Jornada da Juventude.

Mesmo após vender por R$ 46 milhões um prédio em São Cristóvão, na zona norte, para a Rede D’Or de hospitais, a arquidiocese do Rio ainda deve R$ 45 milhões para fornecedores que trabalharam na organização da Jornada Mundial da Juventude. Antes do início do evento, realizado de 23 a 28 de julho com a participação do papa Francisco, os organizadores estimaram que o custo poderia chegar a R$ 350 milhões. Desse total, pouco mais de R$ 100 milhões viriam dos governos federal, estadual e municipal.

Segundo dom Paulo Cezar disse à Folha de São Paulo, foram arrecadados pouco mais de R$ 100 milhões com as inscrições de 427 mil peregrinos, que pagaram de R$ 100 a R$ 600 por pacotes que incluíam alimentação, transporte e hospedagem. Houve ainda doações e venda de cotas de patrocínio durante a Jornada. Somando toda a arrecadação, ainda restou um débito de cerca de R$ 90 milhões. Desde o fim da Jornada, o arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, vem procurando empresários para conversar, em busca de uma solução para a dívida.

Uma alternativa foi a venda de parte do patrimônio da igreja. O primeiro imóvel a ser passado adiante foi o prédio onde desde 2001 funciona o hospital Quinta D’Or, que pertencia a uma entidade ligada à igreja, e estava alugado à Rede D’Or desde a inauguração do hospital.