sexta-feira, 27 de setembro de 2013

* Tenho lá minhas dúvidas: Dilma sobe a 38% e Marina cai para 16%, diz pesquisa Ibope.

A presidente Dilma Rousseff subiu oito pontos em dois meses e passou de 30% para 38% nas intenções de voto, segundo pesquisa Ibope, em parceria com o jornal O Estado de S. Paulo, divulgada na quinta-feira (26). A ex-senadora Marina Silva teve queda de 22% para 16%. Com isso, Dilma abre vantagem de 22 pontos sobre a segunda colocada.

O cenário inclui o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que oscilou de 13% para 11%, e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que passou de 5% para 4%. Brancos e nulos somam 15% e 16% não souberam responder. Em um cenário com José Serra, pouco muda para Dilma e o tucano aparece com 12% das intenções de voto.

Em março, a presidente chegou a 58% das intenções de voto e despencou para 30% em julho após as manifestações. Agora, Dilma recupera parte do eleitorado que perdeu.

A pesquisa foi feita entre os dias 12 e 16 de setembro, em todas as regiões o Brasil. Foram entrevistados 2.002 eleitores e a margem de erro máxima é de 2 pontos para mais ou para menos.

Blog: Apesar de não questionar números, tenho lá minhas dúvidas dessa pesquisa!

* Um governo sem rumo: Policiais civis e servidores do Itep fazem passeata hoje.

Policiais civis e servidores do Instituto Técnico Científico de Polícia Civil (Itep-RN) fazem passeata a partir das 15h30 desta sexta-feira pela Avenida Rio Branco. O percurso traçado pela categoria sai da sede do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol/RN), em direção ao Bradesco. A informação foi divulgada em entrevista coletiva realizada na manhã de ontem, no auditório do Sinpol, que contou com a participação de outros sindicatos.

Na ocasião, declararam apoio à manutenção da greve dos policiais civis dirigentes dos sindicatos dos Bancários, dos Trabalhadores da Educação (Sinte/RN), dos Servidores da Saúde (Sindsaúde/RN) e os membros da Associação dos subtenentes e Sargentos da Polícia Militar e dos Bombeiros do (ASSPMBM/RN)

De acordo com o Sinpol, além de servir para cobrar um posicionamento do Governo do Estado, a medida visa demonstrar a indignação da categoria com a última decisão do desembargador Cláudio Santos, que determina que Sinpol e servidores sindicalizados fiquem, no mínimo, a 200 metros de distância de órgãos públicos como o Centro Administrativo, as delegacias de plantão, a sede da Delegacia Geral de Polícia Civil (Degepol) e do Itep.

Com relação a essa decisão, o Sinpol entrou com agravo junto ao Tribunal de Justiça do RN e considera a medida “contra os direitos dos trabalhadores”, por impedir que “os servidores tenham acesso ao seu local de trabalho”. A decisão foi considerada ainda “de caráter autoritário e prepotente”, chegando a ser comparada à época da Ditadura Militar.