quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

* Ferreira Junior ironiza votos da oposição no seu candidato...

A eleição da câmara passou mais a sua repercussão ainda está por todos os recôncavos do nosso município, o fato inusitado de todos os vereadores da oposição votarem no líder da situação ainda causa muitos disse me disse em esquinas, calçadas e C&A LTDA.

Um dos atores, da cena política caraubense, que também questiona e até ironiza esse fato é o articulador/comandante da situação Ferreira Junior (PMDB), o mesmo em tom de ironia pergunta o porque da oposição votar no líder do governo do seu tio, prefeito Ademar Ferreira (PMDB), "Pergunto a todo mundo e ninguém me responde porque a oposição votou em Pelé?, acho que foi devido o excelente governo que estamos fazendo, pois não existe outro motivo, até porque não acredito nesse rumores difamatórios que escuto por onde ando", comentou, após um risada, Ferreira.

Questionado sobre 2014, Ferreira disse que só fala em 2014 em 2014, mais que seus candidatos terão os melhores resultados das urnas.

Sobre a administração municipal, Ferreira disse que tem conversado muito com Ademar e que 2014 será um ano de muitas conquistas para o município de Caraúbas, "Iremos entregar inúmeras obras que estão sendo executadas, receberemos o parque tecnológico, calçamentos, praças, UBS, casas populares e continuaremos próximo do nosso povo, como sempre fazemos".

E 2016, amigo lá vem você, kkk,"Em 2016 iremos está como nunca tivemos em termos de governo, Ademar estará consagrado como o maior prefeito da história de Caraúbas e o nosso grupo terá um nome que irá continuar o trabalho que Ademar começou", comentou Ferreira.

Você cuidado com a oposição! Ferreira, "Amigo respeito todos os meus adversários, agora essa oposição que está aí tem que explicar muita coisa para o povo de Caraúbas, começando pelos votos em Pelé e outros acordos mais que não vou falar agora, mais que em outro momento vou falar", finalizou Ferreira.

Com a palavra a oposição ou situação, sei lá! É todo mundo junto mesmo!
  Ferreira, Édson Moraes e Alberto Mattos.

* TRE ainda não publicou acórdão e posse do vice-governador também não acontecerá nesta quinta-feira.

A decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que determinou o afastamento da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) e posso do vice-governador Robinson Faria (PSD)... Ainda não será cumprida nesta quinta-feira (12).

O detalhe é que o Acórdão com a decisão também não foi publicado no Diário Oficial Eletrônico da Justiça Eleitoral destas quinta-feira (12), já disponibilizado na internet. Sem a publicação do acórdão, não tem notificação a Assembleia Legislativa, nem posse do vice na cadeira de governador.

* Deputado Minieiro cogita possibilidade de impeachment da Rosa.

A  decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, que determinou o afastamento da governadora Rosalba Ciarlini, já leva a outras manifestações de questionamento sobre o mandato da governadora. O deputado estadual Fernando Mineiro (PT) afirmou que se for mantido no Tribunal Superior Eleitoral o entendimento de improbidade administrativa, ele pedirá impeachment da governadora na Assembleia.

“Se ela se tornar inelegível é porque cometeu improbidade administrativa. Se ela vier a ser condenada por improbidade, então a Assembleia tem que se posicionar. Improbidade é crime, a Assembleia vai ter que discutir e vamos analisar sobre o pedido de impechment”, comentou.

* Líder do Governo prefere esperar definição do TSE.

Líder do Governo na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Getúlio Rego (DEM) afirmou que não discute a decisão do TRE, mas aguarda a definição do Tribunal Superior Eleitoral. “Do ponto de vista técnico não tenho subsídio para avaliar a repercussão disso. Mas acho que se trata de uma decisão extremada, porque a governadora participou da campanha da prefeita Cláudia Regina de forma legítima”, ressaltou.

O Democrata afirmou que se há denúncias, estas precisam ser amplamente apuradas para que não fique dúvidas. O deputado considera que não há motivo para deixar de haver transparência na atuação das instituições. “Mas parece que não atingiria o afastamento do Governo”, comentou. Para ele, “foi uma situação, do ponto de vista de decisão, muito dura”. Sobre as implicações eleitorais, Getúlio Rego disse que a grande preocupação da governadora no momento é superar as dificuldades financeiras que o Estado vem enfrentando. “Ela nunca falou que seria candidata à reeleição. Em momento oportuno, junho de 2014, deveria ter a avaliação”, comentou, chamando atenção que há uma discussão sobre a inelegibilidade da governadora.