sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

* Governo decreta ponto facultativo...

A governadora Rosalba Ciarlini anunciou, na manhã desta sexta-feira (20), que será decretado ponto facultativo nos dias 23, 24 e 31 de dezembro. O anúncio aconteceu durante a confraternização dos servidores estaduais, na Escola do Governo Cardeal Dom Eugênio Sales. O decreto será publicado na edição de sábado (21) do Diário Oficial do Estado (DOE).

* Mensagem do prefeito Ademar Ferreira a todos os caraubenses...

* Luto no brega: Morreu aos 69 anos o cantor Reginaldo Rossi.

O garçom já não escuta mais lamentações na mesa de bar. A raposa não está mais com as uvas. Itamaracá já não tem tanto encanto assim. O brega ficou doidão. Tudo porque faleceu na manhã desta sexta-feira (20), o pernambucano Reginaldo Rossi. O cantor, de 69 anos, não resistiu a um câncer de pulmão. Estava internado no Hospital Memorial São José, no Recife, desde o dia 27 de novembro, quando sentiu dores no peito. Dessa vez, entretanto, a dor não era de amor, como as músicas dele espalhavam.

Após ser diagnosticado com câncer, chegou a fazer quimioterapia, mas não resistiu. O brega está de luto. Só nos resta lembrar com muita saudade daquele bailinho.

Quando passou mal e foi internado, Rossi já estava bastante debilitado e o câncer já tinha se espalhado. Chegou a ter alguns pequenos lampejos de melhora que encheram de esperança uma legião de fãs do Rei do Brega. Mas a luta já estava perdida. Era apenas questão de tempo.

Vários fãs se amontoaram em frente ao Memorial São José para tentar, em vão, ver um pouco mais do recifense nascido no bairro do Pina. Personalidades também estiveram no hospital para visitar Rossi ainda vivo. No último dia de vida, ainda na UTI, uma movimentação intensa de médicos dava a dimensão da gravidade do problema.
reginaldo-rossi
Reginaldo Rossi.
 Jornal do Comércio

* Larissa Rosado envia nota sobre sua cassação.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decidiu cassar os registros de minha candidatura e do professor Josivan Barbosa, a prefeito e vice-prefeito de Mossoró, deliberando ainda por meu afastamento da Assembleia Legislativa, com o surpreendente argumento de "abuso do poder da mídia".

Digo surpreendente, porque, como todos sabem, e o próprio TRE reconheceu em várias decisões, tivemos contra nós a maioria esmagadora dos veículos de comunicação da cidade, sem dizer de sites "noticiosos", blogs e espaços em redes sociais patrocinados com recursos do poder público. 

Reconheço o livre convencimento do juiz como essencial à democracia, mas não abro mão da livre expressão do pensamento, direito fundamental do ser humano. Por isso, discordo da decisão da corte estadual, com a consciência tranquila de quem fez uma campanha limpa, séria e honesta.

Estou convicta de que a Justiça será restaurada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a quem caberá a palavra final sobre o caso. O TSE, a propósito, já deliberou acerca dos motivos da cassação e, relativamente a eles, anulou por completo as multas, considerando que agi dentro da Lei. Agradeço pelas manifestações de apoio, inclusive de adversários que reconhecem minha integridade, e aproveito para dizer que sigo de cabeça erguida, com fé em Deus e no exemplo povo de Mossoró, a fim de continuar o trabalho que desenvolvo em prol do Rio Grande do Norte.

Muito obrigada.

* Na torcida pela volta: Cláudia Regina consegue liminares e fica perto de voltar a Prefeitura de Mossoró.

Uma vitória importante que, ainda, não vale de nada, mas já causa instabilidade em Mossoró. Na noite de hoje (19), a ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Laurita Vaz, concedeu duas liminares com efeito suspensivo para permitir a prefeita afastada de Mossoró, Cláudia Regina (DEM), e o vice, Wellington Filho (PMDB), voltar a Prefeitura de Mossoró. Agora, porém, ainda será preciso anular mais três decisões contrárias do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para que a dupla volte às cadeiras do Executivo Municipal.

As decisões favoráveis, vale lembrar, não entraram no mérito dos processos. A decisão foi semelhante a dada em favor de Rosalba Ciarlini, para evitar a alternância e a instabilidade no combate do administrativo. Por sinal, Laurita Vaz foi a mesma que concedeu o mandado de segurança em favor da governadora mantendo-a no cargo na semana passada.

Se era para não gerar uma instabilidade na gestão municipal de Mossoró, acabou tendo efeito, exatamente, inverso. Afinal, em Mossoró, o prefeito interino Francisco José Júnior, do PSD, já bastante a vontade no cargo, mudou 12 cargos de primeiro escalão do Executivo municipal. Além disso, o TRE marcou esta semana para o dia 2 de fevereiro a eleição suplementar na cidade, com a campanha eleitoral já começando no dia 10 de janeiro.