terça-feira, 27 de maio de 2014

* Gustavo Carvalho faz alerta sobre crise na UERN.

A crise na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), foi novamente citada em plenário. O deputado Gustavo Carvalho (PROS) criticou o governo pelo que classificou de “decisão gradativa” de fechamento da universidade. Gustavo Carvalho afirmou que a decisão do governo vai de encontro às expectativas da sociedade civil. “Fui abordado por inúmeros jovens e pais. Os estudantes inclusive farão um abaixo-assinado contra essa decisão. A UERN hoje oferece a oportunidade de ingresso em quatro cursos e enquanto os estudantes sonham com uma oferta ainda maior de novos cursos, novas possibilidades, o que estamos vendo na prática é a perspectiva de extinção do núcleo”, declarou Carvalho.

O parlamentar criticou o governo pelo não investimento no ensino superior. Contou que foi procurado pelas lideranças, por pais e pelos próprios alunos que cursam e pelos que sonham em cursar nível superior e fez um apelo ao governo e ao atual reitor para que a decisão seja reconsiderada. “Há um processo de mobilização. É inadmissível que não se tenha a sensibilidade de observar que a prioridade seria a educação. O governo não deveria cuidar apenas da permanência do que já existe, mas da ampliação dos cursos superiores”, disse.

* Eita: Para Agripino, reeleição de Rosalba prejudicaria demais candidatos do DEM.

Em entrevista à Rádio Seridó AM, hoje (27), o presidente nacional do DEM, senador José Agripino, mostrou os riscos do projeto de reeleição da governadora Rosalba Ciarlini (DEM), o que prejudicaria o deputado federal Felipe Maia e os estaduais Getúlio Rego e José Adécio.

“Eles é quem me procuraram para dar condições [de eleição] em função do isolamento político. Rosalba ficou reduzida ao DEM. Em fevereiro do ano passado, todo o meu esforço de conduzir um amplo arco de aliança com o PMDB, PR e outros partidos. E esse arco de aliança garantia a reeleição de Rosalba com folga, e com oito meses esse arco de aliança desapareceu. Para você eleger deputados, sempre se faz aliança com outros partidos”, destacou Agripino.

* Ipanguaçu terá eleição suplementar no próximo domingo.

A cidade de Ipanguaçu terá, no próximo domingo, as eleições suplementares. PT e PMDB apresentam candidatos próprios para o pleito. O PT, que tinha o prefeito eleito e cassado Leonardo, colocou para disputa do Executivo o vereador Geraldo Paulino, que é presidente da Câmara e está no exercício do Executivo desde a cassação do eleito em 2012. O petista tem como candidato a vice Valderedo Bertoldo (PPS). E no palanque um dos principais apoios é o do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Motta, que esteve fazendo comício no final de semana.

Já os peemedebistas lançaram como candidato a prefeito o ex-gestor José de Deus, que terá como candidato a vice Hélio Santiago (DEM). A chapa congrega nos apoio o presidente da Câmara dos Deputados, deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB), a vice-prefeita de Natal Wilma de Faria (PSB) e o senador José Agripino Maia (DEM).

* “Candidatura de Rosalba Ciarlini é totalmente viável”, garante advogado.

O presidente nacional do Democratas, o senador José Agripino, quer apoiar a pré-candidatura de Henrique Eduardo Alves, do PMDB, para o Governo do Estado nas eleições deste ano, alegando que a governadora Rosalba Ciarlini, do DEM, além do alto índice de rejeição, sofre também pela condição de inelegibilidade. Contudo, para o advogado dela, Thiago Cortez, o aspecto jurídico de Rosalba pode ser “facilmente” contornado. Segundo ele, inclusive, para ser candidata à reeleição, Rosalba só precisa querer e conseguirá, “sem qualquer dúvida”, uma permissão para isso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“A candidatura de Rosalba Ciarlini é totalmente viável no aspecto jurídico. Basta ela querer. Ela reúne todas as condições para ir para a disputa”, afirmou Thiago Cortez em entrevista ao portalnoar.com na tarde de hoje (26), sem adentrar na questão política da viabilidade dela. “Estou falando da condição judicial, apenas”, ressaltou o advogado ao Portal No Ar.

* MPF estende prazo para receber dados sobre fichas sujas.

O Ministério Público Federal estendeu o prazo para receber os dados sobre candidatos potencialmente inelegíveis nas eleições de 2014. Agora, os órgãos ligados à administração pública de todo o país têm até o dia 30 de maio para enviar as informações. Os dados vão constar do módulo Ficha Suja do sistema SisConta Eleitoral, lançado neste mês de maio para otimizar a análise dos processos e conferir mais celeridade à impugnação de candidaturas irregulares.

Até o momento, mais de 32 mil dados constam do módulo e esse número têm aumentado à medida em que as planilhas chegam à Secretaria de Pesquisa e Análise da Procuradoria Geral da República (SPEA/PGR), idealizadora e administradora do sistema. As informações serão analisadas pelos procuradores do Ministério Público na área eleitoral em cada estado e no Distrito Federal. Eles é que vão verificar a necessidade de ação na Justiça Eleitoral contra o registro dos candidatos, que pode ser feito até 5 de julho.

Sistema - O SisConta Eleitoral foi desenvolvido pela SPEA/PGR a pedido do Grupo Executivo Nacional da Função Eleitoral (Genafe) e da Procuradoria Geral Eleitoral (PGE). Com o módulo Ficha Suja, será possível unificar e processar dados de pessoas condenadas com base em informações dos órgãos ligados à administração pública, que receberam ofício com instruções para o envio dos dados. A atualização é feita diretamente no sistema, pelo endereço eletrônico https://siscontaeleitoral.mpf.mp.br/.

O sucesso do sistema também depende dos órgãos, que deverão enviar os dados até o dia 30 de maio. Segundo o gestor do projeto e coordenador da SPEA/PGR, procurador da República Daniel de Resende Salgado, o SisConta auxiliará a conferir mais eficácia à aplicação da Lei da Ficha Limpa. O sistema faz o cotejo entre a lista de condenados e o Sistema de Candidaturas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Conforme explica, a ferramenta possibilitará que os procuradores eleitorais atuem com mais rapidez no oferecimento de impugnações a candidaturas.

* Mapa da violência 2014: taxa de homicídios é a maior desde 1980.

O Brasil registrou em 2012 o maior número absoluto de assassinatos e a taxa mais alta de homicídios desde 1980. Nada menos do que 56.337 pessoas foram mortas naquele ano, num acréscimo de 7,9% frente a 2011. A taxa de homicídios, que leva em conta o crescimento da população, também aumentou 7%, totalizando 29 vítimas fatais para cada 100 mil habitantes. É o que revela a mais nova versão do Mapa da Violência, que será lançada nas próximas semanas com dados que vão até 2012.

O levantamento é baseado no Sistema de Informações de Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, que tem como fonte os atestados de óbito emitidos em todo o país. O autor do mapa, o sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, diz que o sistema do Ministério da Saúde foi criado em 1979 e que produz dados confiáveis desde 1980. As estatísticas referentes a homicídios em 2012, portanto, são recordes dentro da série histórica do SIM.

* O papa Francisco abre a porta para que os padres possam casar.

“Por não ser um dogma da fé, a porta sempre está aberta…” Não há regras nem zonas vermelhas. Os jornalistas perguntam o que consideram oportuno e o papa Francisco responde. Já tinha feito isso no seu regresso do Rio de Janeiro –“quem sou eu para julgar os gays?” – e volta a fazê-lo agora no avião da El Al, a companhia aérea israelense, no trajeto entre Tel-Aviv e Roma.

Uma das questões levantadas é a do celibato obrigatório dos sacerdotes, um velho assunto que volta a ficar atual depois de que, há apenas alguns dias, um grupo de 26 mulheres apaixonadas por sacerdotes enviou uma carta a Jorge Mario Bergoglio lhe pedindo que deixe de proibir “um vínculo tão forte e bonito”. O Papa não se esconde na resposta à pergunta sobre se está disposto a levar adiante uma discussão incômoda no seio da Igreja: “A Igreja católica tem padres casados. Católicos gregos, católicos coptas, existem no rito oriental. Por que não é um debate sobre um dogma, mas sobre uma regra de vida que eu aprecio muito e que é um dom para a Igreja. Por não ser um dogma da fé, a porta sempre está aberta”.

* Hexacampeonato pode render R$ 1 milhão na conta de cada jogador brasileiro.

O valor ainda não está totalmente fechado, mas o hexacampeonato mundial poderá render um prêmio de mais de R$ 1 milhão para cada jogador da Seleção Brasileira. A premiação terá como base o dinheiro a ser repassado pela Fifa à seleção campeã mundial em 2014 – US$ 35 milhões, equivalentes a R$ 77,7 milhões. A tendência é que 60% dessa quantia seja repassada aos atletas e membros da comissão técnica, caso o Brasil levante a taça.

A premiação vem sendo discutida há cerca de dois meses. O presidente da CBF, José Maria Marin, já fez alguns contatos com o zagueiro Thiago Silva, capitão da equipe nacional e líder dos jogadores na questão da premiação. É bem grande a possibilidade de o acordo girar em torno dos 60% do valor que será entregue pela Fifa à entidade em caso de título, ou seja, R$ 46,6 milhões. Se esse valor fosse dividido igualmente entre os 45 integrantes da delegação, daria R$ 1,03 milhão para cada um. segundo o jornal Zero Hora, no entanto, a tendência é de que 60% desse valor fiquem para os jogadores e para o técnico Luiz Felipe Scolari e o coordenador Carlos Alberto Parreira. Se essa hipótese prevalecer, a conta bancária de cada um deles receberia o reforço de R$ 1,116 milhão.