quarta-feira, 2 de julho de 2014

* Wilma: Eu e Henrique vamos corrigir o engano.

A ex-governadora do Rio Grande do Norte e candidata a senadora Wilma de Faria (PSD) declarou que aceita os votos dos eleitores da atual gestora do Estado Rosalba Ciarlini (DEM).

- Eu não aceito dividir um mesmo palanque com quem deixou o RN numa situação de calamidade pública. Os eleitores não têm culpa de ter votado nela. Foi um engano. E nós – Eu e Henrique Alves (candidato a governador) queremos corrigir esse engano e fazer o Rio Grande do Norte a voltar a crescer.

* Brasil bate recorde em homicídios.

A cada dia, 154 pessoas morreram, em média, vítimas de homicídio no Brasil, em 2012. Ao todo, foram 56.337 pessoas que perderam a vida assassinadas, 7% a mais do que em 2011. Os dados são do Mapa da Violência 2014, que mostra um crescimento de 13,4% de registros desse tipo de morte em comparação com o número obtido em 2002. O percentual é um pouco maior que o de crescimento da população total do país: 11,1%. As principais vítimas são jovens do sexo masculino e negros. Ao todo, foram vítimas desse tipo de morte 30.072 jovens, com idade entre 15 e 29 anos. O número representa 53,4% do total de homicídios do país. Também, desse total, 91,6% eram homens.

Os dados de 2012, último ano da série projetada pelo mapa, mostram ainda que, a partir dos 13 anos de idade, o percentual começa a crescer. Passa de quatro homicídios a cada 100 mil habitantes para 75, quando se chega aos 21 anos de idade. Os homicídios também vitimam majoritariamente negros, isso é, pretos e pardos. Foram 41.127 negros mortos, em 2012, e 14.928 brancos. Considerando toda a década (2002 – 2012), houve “crescente seletividade social”, nos termos do relatório. Enquanto o número de assassinatos de brancos diminuiu, passando de 19.846, em 2002, para 14.928, em 2012, as vítimas negras aumentaram de 29.656 para 41.127, no mesmo período.