domingo, 17 de agosto de 2014

* Eduardo Campos é enterrado sob gritos de “guerreiro do povo brasileiro”

O corpo do candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB) foi enterrado no início da noite deste domingo (17), em Recife (PE). Sua sepultura fica ao lado da do avô, o ex-governador do estado Miguel Arraes, no Cemitério de Santo Amaro, em uma sepultura simples, sem luxo, rodeada apenas de flores e placas de mármore com identificação. Fogos de artifício e gritos de “Eduardo, guerreiro do povo brasileiro” marcaram o encerramento da cerimônia.

Desde o sábado, pelo menos 130 mil pessoas passaram pelo velório e sepultamento, segundo informações da Polícia Militar de Pernambuco. Eduardo Campos faleceu na quarta-feira (13) após acidente aéreo em Santos (SP), quando ele e mais seis pessoas morreram na queda de um jato Cessna. O sepultamento de hoje acontece mais de cem horas após a tragédia.

Nas ruas, nos bancos, nas calçadas em cima dos jazigos – alguns seculares de mármore –, cada metro do Cemitério Santo Amaro foi disputado pelos admiradores do ex-governador na chegada do caixão com os restos mortais do político ao local. As vias próximas ao cemitério estavam cheias de ônibus com caravanas de várias cidades do estado. Segundo a Polícia Militar, 150 mil pessoas passaram pelo velório de Campos, na sede do governo de Pernambuco.
População de Pernambuco acompanha traslado do caixão para o cemitério.

*Vergonha: Governo Rosalba adia pagamento de 20% do décimo terceiro e diz que não há previsão para novo depósito.

O Governo do Estado adiou o pagamento da segunda parcela do décimo terceiro salário, que estava previsto para a próxima segunda-feira (18). Ainda não há uma nova data definida para o pagamento de 20% do salário, mas, de acordo com o Executivo, será pago até o dia 20 de dezembro, quando está previsto pagar o restante. No dia 16 de julho foi paga a primeira parcela, também de 20%.

De acordo com a Assessoria de Comunicação Social, a decisão é em decorrência da medida do Executivo para tentar adequar os gastos cumprindo as leis de Responsabilidade Fiscal e de Diretrizes Orçamentárias. A legislação também aponta que o Legislativo, Judiciário, Tribunal de Contas do Estado e Ministério Público devem adotar medidas para limitar seus empenhos e movimentações financeiras.

Essa é uma das primeiras medidas práticas adotadas pelo Executivo desde que externou, na última terça-feira (12) em reunião com representantes de outros poderes, dificuldade financeira devido à frustração de arrecadação no primeiro semestre deste ano e projeção de agravamento do cenário até dezembro.

No mesmo encontro também foi entregue pela governadora Rosalba Ciarlini uma espécie de resumo do relatório de avaliação das receitas do Tesouro Estadual. O relatório foi publicado hoje (16) no Diário Oficial do Estado. Outras medidas devem ser anunciadas e adotadas pelo Poder Executivo em reunião com o secretariado nesta segunda-feira (18) na Governadoria, em Natal.

* Em campanha, Wilma de Faria diz que quer ser uma senadora “municipalista”

A vice-prefeita de Natal Wilma de Faria, candidata ao Senado, disse que se eleita será uma senadora “municipalista”. “Tenho um passado de muita luta e trabalho. Aonde eu vou, qualquer recanto do estado, tenho trabalho prestado, e, no Senado, quero trabalhar mais”, observou.

O ministro Garibaldi Filho também referenda a forte atuação dela. “Não conheço Wilma como conheço Henrique, mas reconheço seu trabalho como prefeita de Natal e grande governadora, e quero dizer, como senador escolhido por vocês, que não há uma pessoa mais preparada e com experiência maior para defender o Rio Grande do Norte como Wilma de Faria”.
1
Caravana.

* Dilma foi vaiada na chegada ao velório de Campos.

Autoridades de todo o país chegaram ao velório do ex-governador Eduardo Campos, morto na última quarta-feira em acidente aéreo em Santos, no litoral de São Paulo. A presidente Dilma chegou à base aérea do Recife pouco antes das 10h, acompanhada do ex-presidente Lula, do ministro da Casa Civil Aloizio Mercadante, do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e do candidato petista ao governo do Estado de São Paulo, Alexandre Padilha. Ao se dirigir ao Palácio do Campo das Princesas, onde ocorre o velório, os petistas foram recebidos com vaias leves pelos simpatizantes que prestam as últimas homenagens a Campos.

O presidente do PPS, deputado Roberto Freire, disse que as vaias à presidente Dilma no velório de Eduardo Campos refletem a indignação da população. “O povo está indignado. Pediram até para tirar a coroa de flores (enviada por Dilma)”, afirmou. Freire prevê o crescimento do movimento antigoverno nos próximos dias. “Ele era um crítico ao governo mais contundente que Aécio (Neves, candidato do PSDB). E isso vai ficar. As pessoas não o conheciam e querem saber agora o que o Eduardo pensava”, disse à revista Veja.
dilma veloriok
Vaias...

* Emoção marca a chegada do corpo de Campos em Recife.

Ao longo da Avenida Centenário Alberto Santos Dumont, na saída da Base Aérea do Recife, no bairro do Jordão, muita gente com bandeiras, cartazes e material de campanha de Eduardo Campos aguardou a passagem do cortejo que levou os restos mortais do ex-governador para ser velado no Palácio do Governo.

O clima é de emoção, tristeza e também revolta. Algumas pessoas expressaram indignação com o que acreditam ter sido uma sabotagem. “Tiraram ele de cena, foi covardia, maracutaia”, exclamou Sueli Batista da Silva, de 44 anos, que trabalhava em sua campanha. Ela recebe R$ 30 por dia divulgando cartazes e bandeiras, mas agora disse que trabalha “até de graça por Marina”. Inconformada, ela está convicta de que o acidente foi provocado.
chegada campos
Filhos conduzem o corpo do pai.

* Servidores da Justiça entram em greve no RN.

Os servidores do Poder Judiciário no RN devem começar o movimento de paralisação na próxima quinta-feira (21), por tempo indeterminado. Tal mobilização atingiria os órgãos vinculados ao Tribunal Regional do Trabalho, Justiça Federal e no Tribunal Regional Eleitoral. Com a greve vão funcionar apenas 30% dos serviços.

A parada integra um movimento nacional, que tem o objetivo de pressionar o STF a negociar com o Governo, para que o reajuste da categoria seja reencaminhado ao Congresso. A categoria alega que está há seis anos sem aumento e a mobilização é em defesa de um reajuste emergencial, tendo em vista as perdas salariais que chegam a 50%.