sábado, 26 de março de 2016

* Mulher é morta a tiro em prostíbulo no RN.

G1/RN: Uma mulher foi morta a tiro na noite desta sexta-feira (25) em um prostíbulo em Candelária, na Zona Sul de Natal. Um homem teria atirado no portão do estabelecimento e atingiu a vítima no pescoço. Jacilene Francisca da Silva, de 31 anos, morreu no local.

De acordo com a Polícia Militar, um homem foi procurar a ex-mulher que estaria no prostíbulo.
 
O suspeito entrou, procurou nos quartos e não encontrou a ex-companheira. Na saída ele atirou na fachada do estabelecimento, a bala atravessou o portão e atingiu Jacilene Francisca da Silva. O suspeito fugiu.
Jacilene Francisca da Silva morreu no local (Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi) 
Jacilene Francisca da Silva morreu no local.

* Eita: ‘Queremos a paz, mas não tememos a guerra’, diz presidente do PT.

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, conclamou neste sábado, 26, em sua página no Facebook, a militância do partido a defender o governo da presidente Dilma Rousseff e disse que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve assumir o cargo de ministro. “As manifestações mostram o seguinte: queremos a paz, mas não tememos a guerra”, afirmou.

De acordo com o Estadão, as declarações de Falcão ocorrem em meio às notícias de que uma possível debandada do PMDB pode acelerar o impeachment na Câmara. Aliados do vice-presidente Michel Temer afirmaram ao Estado que ele se prepara para assumir o governo em maio e, por isso, também intensificou nos últimos dias as articulações no mundo político e empresarial nesse sentido.

“Vamos lutar e vamos defender o Estado Democrático de Direito”, disse o presidente do PT na rede social. “Se eles acham que haverá estabilidade derrubando a Dilma, estão muito enganados. A estabilidade virá com o fim do impeachment (e) a possibilidade do Brasil voltar a crescer”.
rui_falcao]
Esse Rui!

* Ferreira Junior, "Voto em Juninho irmão de Eugênio e não voto no 22".

O comandante ou ex comandante Ferreira Junior após tentar o retorno do pré Novinho Praxedes para os quadros do PMDB, foi enfático e direto, "Se Novinho continuar no 22 é mais fácil eu votar em Juninho irmão de Eugênio que votar nele, pois no 22 eu não voto", vixe.

A negativa segundo Ferreira não é contra Novinho e sim contra o 22, no caso o PR (Partido da República).

A cada declaração, reaproximação fica mais longínqua, anotem.
A cada dia reaproximação fica mais distante.

* Em Caraúbas, racha da situação poderá facilita a vitória de Juninho Alves.

A disputa nos bastidores entre as prés campanhas de Novinho Praxedes (PR) e Junior Gurgel (PMDB), está deixando o caminho livre para uma vitória eminente do pré Juninho Alves (PSD) em 2016.

Essa realidade clara e nítida, visto que a disputa acima está rachando a situação, a possível vitória oposicionista é aceitada e reconhecida pelo comandante Ferreira Junior, confira.

"Se Junior e Novinho não se entenderem o prefeito a partir de janeiro de 2017 é Juninho Alves", palavras do Ferreirinha.

Enquanto a situação segue com mil e nenhuma alternativa (s) praticas!

Por outro, o Caçula segue esperando para dar o bote no insatisfeito ou insatisfeitos!!!
Caçula só esperando o resultado!

* Bomba: MP/RN em ação no oeste...

Informações apontam que uma cidade do oeste do Rio Grande do Norte, passará por (mais) uma operação do Ministério Público do RN.

Essas apontam que as mesma contará com o afastamento do atual prefeito.

Se confirmando, será o fim definido de um clã político regional.

Ponham as barbas de molho!!!
As entrelinhas falam muito!!!

* Exclusivo, não acredito: Ferreira Junior não controla mais pré candidatura de Junior Gurgel.

O articulador comandante Ferreira Junior (PMDB), após ser muito pressionado durante os dias sagrados da semana santa, externou que Junior Gurgel só não será candidato se ele não quiser, olhe aí.

Apesar de deixar transparecer nos bastidores que os números não são nada favoráveis para o seu pré candidato e que tudo que pode fazer está fazendo e não tem visto muitos resultados, Ferreira disse que em virtude de ter sido ele quem convidou Junior Gurgel para esse desafio não pode volta atrás.

"Eu que fui em Campina Grande chama Junior para ser me candidato assim, ganhando ou perdendo não posso trair ele", frisou Ferreira.

Além de declarar que não tem mais controle sobre a pré candidatura de Junior Gurgel, Ferreira ainda disse que estará entregando o PMDB após o dia 02 de abril ao pré Gurgel e que ele faça do partido o que achar melhor, lascou-se.

Mesmo, EU NÃO ACREDITANDO, de acordo com Ferreira, é Junior Gurgel quem dar as cartas no PMDB.

Vale ressaltar que ontem (25), Raimundo Hélio se dirigiu até Fortaleza/CE, para uma reunião com Henrique e Garibaldi, na pauta PMDB de Caraúbas.

Salada de letrinhas na situação.
De quem será o comando?
Quem manda é Ferreira!

* Em instantes política caraubense na pauta...


* Ministros do STF afirmam que impeachment não é golpe se a Constituição for respeitada.

Dois ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia e Dias Toffoli, defenderam, nesta quarta-feira, a legalidade do processo de impeachment que tramita hoje na Câmara dos Deputados e pode culminar no afastamento da presidente Dilma Rousseff, que voltou a chamar a tentativa de retirá-la da Presidência como golpe ontem, em Brasília. A presidente já tinha feito um duro discurso na terça-feira, quando se reuniu com juristas no Palácio do Planalto.

Cármen ponderou que Dilma pode ter sido mal interpretada em sua declaração, mas afirmou que o impeachment não é golpe se a Constituição for respeitada. “Tenho certeza que a presidente deve ter dito que se não se cumprir a Constituição é que poderia haver algum desbordamento. Não acredito que ela tenha falado que impeachment é golpe. Acho que deve ter sido essa a fala dela, não vi. O impeachment é um instituto previsto constitucionalmente”, explicou a ministra do STF ao participar do prêmio Faz Diferença, no Rio.

Ela também negou que haja um cenário de ativismo judicial no país. “A atividade do Judiciário é acionada pelos cidadãos. O Poder Judiciário não atua isoladamente, de ofício, é por provocação. Então, quando se fala em ativismo judicial, é que o Judiciário ultrapassaria, e não há demonstração nenhuma de que isso esteja acontecendo”.

Em entrevista ao “Jornal Nacional”, Toffoli reforçou que o processo de impeachment está previsto na Constituição, e acrescentou que todas as democracias têm mecanismos de controle. “O processo de impeachment é previsto na Constituição e nas leis brasileiras. Não se trata de um golpe. Todas as democracias têm mecanismos de controle e o processo de impeachment é um tipo de controle. Eu não vou opinar sobre o caso concreto, porque o juiz do caso concreto é a Câmara dos Deputados, inicialmente, e, posteriormente, o Senado da República. Qualquer andamento do processo que esteja fora das regras legais pode o Supremo Tribunal Federal, então, colocar dentro dos parâmetros da Constituição. Aqueles que se sentirem atingidos podem recorrer à Justiça brasileira. O que ocorre hoje é a democracia. É muito melhor vivermos desta forma, do que sob uma ditadura”, comentou.
ministros
Ministros.

* Em Caraúbas, confira as promoções do Praxedes Supermercado.

* PMDB se reúne para decidir se continua no governo ou se passa à oposição.

A presidente Dilma Rousseff enfrenta nesta terça-feira a reunião do Diretório Nacional do PMDB, em Brasília, com apenas 6 das 27 unidades da Federação favoráveis à permanência do partido no seu governo. Levantamento do Correio aponta que lideranças de 14 diretórios estaduais estão decididas a votar pelo fim do casamento entre PMDB e PT e a entregar cargos ocupados por correligionários e apadrinhados. O restante está dividido. O número de votos varia por estado, mas entre aqueles que devem optar pela debandada estão os com maior número de votantes, como Rio de Janeiro, que tem 12, e Minas Gerais, com 10.

Ao todo, serão 119 votantes e 155 votos. Essa diferença existe porque alguns membros da executiva nacional têm direito a mais de um voto por ocuparem cargos de liderança e presidência do partido ou de diretório, por exemplo. Na Bahia, o ex-ministro da Integração Nacional do governo Lula Geddel Vieira Lima acumula três votos por ser presidente de diretório, ex-líder da bancada na Câmara e delegado do partido. Ele defende a saída do governo.

O PMDB tem hoje sete ministros no governo Dilma: Marcelo Castro, no Ministério da Saúde; Celso Pansera, no de Ciência, Tecnologia e Inovação; Eduardo Braga, no de Minas e Energia; Henrique Eduardo Alves, no Turismo; Kátia Abreu, no da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Hélder Barbalho, na Secretaria de Portos da Presidência da República; e Mauro Lopes, na Secretaria de Aviação Civil. Todos eles defendem a permanência, mas Kátia e Castro são os que mais têm se mostrado resistentes em entregar seus cargos em prol da maioria.

* PMDB no desembarque: “Não temos vocação suicida”.

A próxima terça-feira, quando o PMDB deve sacramentar a saída do governo, está sendo chamada de o “Dia D” no Planalto. A avaliação é que os demais partidos da base, PP à frente, tomarão decisão semelhante em seguida. O presidente de uma das siglas mais próximas de Dilma Rousseff projeta um cenário em que PT, PCdoB e alguns deputados avulsos seriam os únicos a se manter com o governo. “Não temos vocação suicida. Não vamos morrer abraçados a eles”, diz.

Aliados de Michel Temer têm enfatizado que o momento é de marcar posição. Quem não aparecer na reunião do diretório ficará marcado como governista. “Não dar as caras será mostrar sua cara”, diz um interlocutor do vice.
000-aaaaaaaaaaRatos-pulando-fora-do-barco-por-Sponholz
Titanic do Planalto .