quarta-feira, 27 de abril de 2016

* Rapidinhas sendo editadas...


* Em Caraúbas, vice prefeito Ivanildo Fernandes ainda não tem definição sobre pleito de outubro vindouro.

O vice prefeito Ivanildo Fernandes (PT), declarou na noite de ontem (26), no grupo de Zap Zap do Blog do João Marcolino, que ainda não tem definição sobre as eleições de outubro vindouro, no tocante a apoio majoritário, eita.

A resposta foi dado após um questionamento feito por um integrante do grupo ao vice prefeito.

Ivanildo Fernandes ainda externou que sua definição será em conjunto com o Partido dos Trabalhadores  (PT), ao qual é filiado e que deverá ocorrer só em junho próximo, eita.

Até lá águas irão passar em baixo da política local...
Vice prefeito Ivanildo Fernandes ainda indefinido. 

* Em Caraúbas, chapa do "Caçula" ainda não está fechada porém o assunto é "proibido" de ser tocado!!!!

Apesar de uma pequena parcela da oposição caraubense acreditar que a chapa Juninho Alves (PSD) e Paulo Brasil (DEM), já está fechada , esse assunto ainda está longe de ser prego batido entretanto esse assunto é "proibido" de ser confirmado ou negado perante certos "xiitas" do bloco.

Detentor de um leque de partidos apoiarem o pré Juninho Alves (PSD), existe uma imposição feita ex vereador e candidato derrotado nas últimas eleições Paulo Brasil (DEM) que caso não seja o vice da chapa do Caçula não participará do pleito, vixe!

Os irmãos Alves não confirmaram até hoje (27), que a chapa esteja fechada contudo não descartam a possibilidade e inclusive até acha que ela "pode" vir a acontecer entretanto será o bloco de aliados que irão definir a chapa e claros as mudanças inesperadas da política, hum!

A essa altura do campeonato o fechamento de uma composição é um tiro no pé só serve mesmo para afastar possíveis aspiradores aos cargos em disputa.

Ainda vai passar muita água na ponte e detalhe, suja também!
Mais detalhes nas rapidinhas...
Nada definido!

* Política caraubense na pauta...


* Janot dá parecer contra estados em julgamento sobre dívidas no STF.

O posicionamento da Procuradoria-Geral da República (PGR) no julgamento em que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá se o estoque das dívidas dos estados com a União pode ser corrigido por juros compostos foi desfavorável aos governadores. O procurador-geral Rodrigo Janot argumentou em sustentação oral que a União capta recursos a juros compostos e não poderia cobrar dos estados juros simples, pois isso criaria um desequilíbrio nas finanças públicas.

— Existe equilíbrio entre a captação pela União e a cobrança que ela faz? A União não pode captar recursos por índices maiores e depois cobrar menores, ou seja, subsidiar os estados — afirmou Janot.

O procurador também alfinetou os estados, que justificaram ao STF que precisam de juros simples porque estão em graves dificuldades financeiras. Para Janot, o debate em torno a forma de cálculo dos juros é jurídico e, por isso, não se pode trazer para o julgamento argumentos políticos em torno do pacto federativo.

— O debate é político e não jurídico. A discussão sobre o contorno do federalismo adequado ao Brasil está afeto ao debate político e não jurídico — disse Janot.

AGU VÊ ‘NOCAUTE’ SOBRE CONTAS PÚBLICAS

A representante da Advocacia Geral da União (AGU), Grace Maria Fernandes Mendonça, disse que, se o STF mantiver o cálculo das dívidas dos estados perante a União com base em juros simples, as contas públicas serão nocauteadas. Segundo a advogada, o rombo nos cofres da União refletirá no aumento da crise financeira, com repercussão grave na vida da população.

— Medida dessa ordem é verdadeiro nocaute nas contas públicas federais, um nocaute capaz de gerar concretamente expansão do desemprego, encolhimento das políticas públicas sociais e inibição do crescimento — declarou na tribuna do STF.

Grace lembrou que, nos anos 1990, diante da crise financeira e da inflação nas alturas, a União assumiu a dívida dos estados, que era calculada com juros compostos, e refinanciou com taxas mais amenas. Agora, a União não poderia conceder aos estados o cálculo das dívidas em juros simples, ou ficaria no prejuízo. Segundo a advogada, a União assumiu as dívidas no valor de R$ 124 bilhões. Hoje, o valor atualizado, já com os abatimentos das parcelas quitadas, seria de R$ 1,1 trilhão – quase um terço da dívida total do país, atualmente em R$ 3,9 trilhões.

— É preciso equilibrar a balança entre ativos e passivos. Não há como União captar dívidas com juros compostos e refinanciar para os estados com juros simples. Não há como se equilibrar essa conta — argumentou a representante da AGU.

Grace também refutou o argumento dos estados de que as dívidas seriam “impagáveis”, garantindo que incide desconto sobre o saldo devedor. A advogada ponderou que, se as liminares forem mantidas, a União acabaria devedora dos estados, mesmo tendo feito tanto esforço para ajudar os entes no momento de dificuldade financeira.

— A União acabaria na inusitada posição de devedora, depois de todo esforço de assumir a dívida dos estados, numa completa inversão do trato que deve se dar no que se refere à dívida pública. Não há sabotagem, há um trato responsável da dívida pública por parte da União. A união não atua para sabotar, para construir um federalismo forma, cooperativo sim, mas responsável — declarou.

Representantes de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Minas Gerais já se pronunciaram na tribuna do Supremo Tribunal Federal (STF), no julgamento em que a Corte vai decidir se o estoque das dívidas estaduais com a União podem ser corrigidos por juros simples. Enquanto estados defendem a mudança, o governo afirma que o rombo nas contas públicas causado pela mudança pode chegar a R$ 402 bilhões.
INFOCHPDPICT000057376170
Janot.

* Rapidinhas na pauta...


* Presidente Dilma joga a toalha, e considera impeachment inevitável.

A presidente Dilma Rousseff admitiu a aliados que seu afastamento temporário da Presidência da República se tornou "inevitável" e decidiu traçar uma agenda para "defender seu mandato" e impedir que o vice Michel Temer "se aproprie" de projetos e medidas de seu governo.

Chancelada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a estratégia tem o objetivo de manter a mobilização da base social do PT e reproduzir o discurso de que Dilma é "vítima de um golpe" e que um eventual governo Michel Temer é "ilegítimo".

A presidente pediu à sua equipe para "apressar" tudo que estiver "pronto ou perto de ficar pronto" para ser anunciado antes de o Senado aprovar a admissibilidade do processo de seu impeachment, em votação prevista para o dia 11 de maio, o que vai resultar no seu afastamento do cargo por até 180 dias.

Segundo um assessor direto, Dilma não quer deixar para Temer ações e medidas elaboradas durante seu governo. Nesta lista, estão as licitações de mais quatro aeroportos (Porto Alegre, Fortaleza, Florianópolis e Salvador), concessões de portos e medidas tributárias como mudanças no Supersimples.

A ordem, de acordo com um auxiliar, "é limpar as gavetas" e promover um ritual de saída do governo. A petista determinou ainda resolver tudo o que for possível nestes próximos dias para evitar críticas da equipe de Temer de que assumiu um governo "desorganizado".

Neste ritmo de reta final, Dilma vai também instalar o CNPI (Conselho Nacional de Política Indigenista), anunciará a prorrogação da permanência de médicos estrangeiros no programa Mais Médicos, participará de Conferência Conjunta dos Direitos Humanos e deve entregar no Pará novas unidades do Minha Casa, Minha Vida.

Para a próxima semana, está prevista a cerimônia da tocha olímpica, com forte claque petista no Palácio do Planalto, e o lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017.

Auxiliares da presidente defendem a ideia de que ela precisa sair do "imobilismo" e tentar mostrar que ainda tem algum apoio social. 

Dilma estuda ainda ir a São Paulo para evento das centrais sindicais em celebração ao 1º de Maio, Dia do Trabalho.
 Dilma Rousseff aceitando o fim!
Folha de São Paulo.

* Homem é assassinado dentro de cabaré em Monte Alegre.

Um homem identificado como João Paulo Araújo de Medeiros, de 24 anos, foi morto a tiros na madrugada de hoje (27) no município de Monte Alegre, na Grande Natal. Segundo a Polícia Militar, a vítima acabou sendo executada em um cabaré que fica próximo a Lagoa do Quirambu, no centro da cidade.

“O homicídio aconteceu por volta de 1h da manhã e o homem foi encontrado morto deitado em uma cama de um cabaré da cidade”, disse o sargento Trindade, do Pelotão Destacado de Monte Alegre.

Segundo a PM, João Paulo faria aniversário no dia 29 do próximo mês. A polícia acredita que a vítima tenha envolvimento com crimes e que isso pode ter motivado o homicídio. Ainda não há, no entanto, informações sobre suspeito pelo crime. O caso deverá ser investigado pela Polícia Civil do município.
Vítima.

* Enquanto isso... Governo do Estado só vai confirmar data de pagamento dos salários após o dia 30.

O secretário de Planejamento, Gustavo Nogueira, confirmou a esse blog que infelizmente o governo ainda não tem como precisar a data que vai pagar o funcionalismo.

“BG, as frustrações de receitas são tantas que vamos ter que aguardar o repasse do FPE  (Fundo de Participação dos Estados), do dia 30 para podermos fixar uma data de pagamento, esse é a realidade, infelizmente”

Nos bastidores a certeza é que será entre os dias 05 e 10/05.
dinheiro no bolso
NO RN É ZERO!

* Aí RN! Governo da PB confirma pagamento de servidores para dias 29 e 30.

O pagamento dos servidores estaduais referente ao mês de janeiro começa a ser efetuado nesta sexta-feira (29). Recebem no primeiro dia, aposentados e pensionistas. A informação é da secretaria estadual de Administração.

No sábado (30), é a vez dos servidores da ativa receberam seus salários, tanto da administração direta e indireta. Com isso, o Governo do Estado reforça o compromisso de pagar os servidores dentro do mês trabalhado.

E o RN, como será meu Deus!
dinheiro no bolso
Bom seria se fosse aqui desse jeito!

* Em Nova York, Sergio Moro participa de jantar de gala da revista Time.

O juiz federal Sergio Moro e a sua esposa, Rosangela Wolff, participaram de um evento realizado nesta terça-feira, em Nova York, pela revista norte-americana Time. O jantar de gala foi promovido para homenagear as personalidades mais influentes do mundo eleitas pelo próprio periódico.

Moro figura nesta lista na categoria “Liderança” ao lado de personalidades como a chanceler alemã Angela Merkel, os pré-candidatos à Presidência dos Estados Unidos Donald Trump e Hilary Clinton, o presidente Barack Obama e o presidente francês, François Hollande.

“Em primeiríssima mão para os curtidores da nossa página. Sergio Moro representa Brazil. Festa revista TIME!”, escreveu Rosangela na página que ela criou no Facebook para apoiar o marido. Até as 21h55min, a publicação tinha 81 mil curtidas, 15.775 compartilhamentos e 7 mil comentários.
moro_time
Moro em alta.

* Como é? “Não posso me vincular a baixaria”, diz primeira-dama do Turismo.

O novo ministro do Turismo, Alessandro Golombiewski Teixeira, proibiu a mulher, Milena Teixeira, de conversar com a imprensa após a divulgação de fotos tiradas por ela em seu gabinete. A informação foi dada pela assessoria de imprensa da modelo, a MF Models. A proibição ocorre um dia após Milena publicar um ensaio com decote ousado em seu Facebook feito dentro do gabinete do marido para comemorar seu “primeiro dia de primeira-dama” da pasta.

“Estou proibida de dar entrevista. Por quê? Vincularam a coisas do passado, como Miss Bumbum, por exemplo, eu não sou mais modelo, não participo desses concursos há muito tempo. O Miss Bumbum não foi brasileiro, foi americano, nem foi Miss Bumbum o nome do concurso, não posso me vincular com baixaria”, disse Milena por meio de sua assessoria. Segundo ela, o concurso que venceu era o de “Corpo Mais Bonito de Miami”.
turismo2
turismo1
Como é