sábado, 16 de julho de 2016

* Em Caraúbas, Juninho Alves demonstrou força em evento no bairro Sebastião Maltês.

Apesar de não dispor de um número significativo de apoiadores, no tocante a mandatos e 'medalhões', o pré candidato Juninho Alves realizou um evento expressivo na noite de ontem (15), na loja maçônica em Caraúbas, localizada no Sebastião Maltês.

O evento da noite de ontem, foi o primeiro que demonstrou a força do bloco liderado pelos irmãos Alves.

O pré demonstrou que segue forte visando o pleito vindouro.
Evento importante.

* Governo muda vice direção da Cadeia Pública de Caraúbas.

A Secretaria de Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte mudou a direção de duas unidades penitenciárias do estado. A “dança das cadeiras” atingiu penitenciárias em Caraúbas e em Caicó, que nesta semana registrou fuga de 16 presos no “Pereirão”.

As medidas foram publicadas na edição desta sexta-feira (15) do Diário Oficial do Estado (DOE) e definidas como ‘exonerações a pedido’. Na Cadeia Pública de Caraúbas, Antônio André de França foi substituído da vice-direção da unidade por Geanilson dos Santos Silva.

E na Penitenciária Estadual do Seridó Ednaldo Cândido Dantas foi exonerado da vice-direção da unidade para assumir a direção.
Novo comando na vice direção.

* Hoje, em Caraúbas, PR e PMDB selarão união em grande evento.

A política caraubense aguarda com grande expectativa a movimentação política que ocorrerá logo mais a partir das 19h, no clube verdes mares, na oportunidade será selada a união política entre o PR e o PMDB e demais agremiações.

O evento poderá marcar uma nova etapa do pleito que se aproxima em outubro.

No município o time azul e verde está se mobilizando para realizar o maior evento do pleito até então, vixe.

É aguardar!!!!
O grande encontro.

* Para ministro da Saúde, pacientes imaginam doenças.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse nesta sexta-feira (15) que a maioria dos pacientes que procuram atendimento em unidades de atenção básica da rede pública apenas “imagina” estar doente, mas não está. De acordo com o ministro, é “cultura do brasileiro” só achar que foi bem atendido quando passa por exames ou recebe prescrição de medicamentos e esse suposto “hábito” estaria levando a gastos desnecessários no Sistema Único de Saúde (SUS). Entidades médicas criticaram a fala de Barros.

“A maioria das pessoas chega ao posto de saúde ou ao atendimento primário com efeitos psicossomáticos. Por que 50% dos exames laboratoriais não são retirados pelos interessados? Por que 80% dão resultado normal? Porque foram pedidos sem necessidade”, disse o ministro, na manhã de ontem (15), em evento na sede da Associação Médica Brasileira (AMB), em São Paulo.
ricardo_barros
Como é que é?

* Polícia investiga execução de empresária em Parnamirim.

G1/RN – A equipe do 1º Distrito Policial de Parnamirim, cidade da Grande Natal, já iniciou as investigações sobre o assassinato da empresária Ivonete Leandro da Silva, de 57 anos. Ela foi executada a tiros na tarde de quinta-feira (14) na rua rua Lindalva Santiago, no bairro de Santos Reis. O delegado titular do 1º DP da cidade diz já ter uma linha de investigação para o caso, mas não antecipou qual seria.

Ivonete Leandro foi morta minutos após sair da casa de uma amiga. “Ela saiu aqui de casa às 16h10. Dois minutos depois, sem nem ter andado 100 metros, foi assassinada. Pelo o que os vizinhos contaram, os criminosos se aproximaram e efetuaram vários disparos”, relatou Soll Dantas, amiga da empresário.

O carro que Ivonete dirigia ficou marcas de tiros. Uma mulher que viu o crime disse que todos na rua ficaram assustados. “Foram muitos tiros. Todo mundo ficou assombrado”. Após o crime, uma equipe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foi ao local para afzer perícia e coletar informações. Esses dados serão repassados à equipe do 1º DP, que vai conduzir as investigações.
ivonete
Empresária.

* França vai combater Estado Islâmico em qualquer lugar, diz ministro da Defesa.

As autoridades da França vão lutar contra o grupo terrorista Estado Islâmico em qualquer lugar, declarou hoje (16) ministro da Defesa da França, Jean-Yves le Drian. “É importante continuar a luta contra o Esado Islâmico em qualquer lugar”, disse Le Drian durante uma reunião do governo francês.

Ele confirmou também que as autoridades da França vão manter em vigor o Plano Sentinela, no âmbito do qual são mobilizados 10 mil militares para defender o território nacional do país. Na noite de 14 para 15 de julho de 2016, na cidade francesa de Nice, um caminhão atropelou uma multidão de pessoas que estavam em uma avenida marginal para assistir à queima de fogos de artifício em homenagem ao feriado nacional da França – o Dia da Tomada da Bastilha.

O número de mortos no atentado até o momento é de 84 pessoas e mais de 200 ficaram feridas. De acordo com o presidente da França, François Hollane, 50 pessoas estão feridas gravemente e correm risco de morrer. O grupo terrorista Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelo atentado.
franca
Terrorismo.

* Temer e PMDB apoiam PEC que limita partidos.

O recorde de candidaturas na eleição para a presidência da Câmara nesta semana fez o governo endossar um movimento para que PMDB e PSDB, os dois maiores partidos da base aliada do presidente em exercício Michel Temer, retomem no Congresso o debate sobre a imposição de uma cláusula de barreira para limitar a proliferação de legendas e conter a fragmentação partidária.

O Estadão lembrou que a cláusula de barreira é um índice que estabelece um porcentual mínimo de votos válidos que cada partido deve obter nas eleições, caso contrário há limitação ou perda de acesso ao Fundo Partidário, ao tempo de TV e atuação parlamentar.

O Congresso aprovou uma cláusula de 5% em 1995, mas, após pressão de pequenos partidos, a restrição foi julgada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal em dezembro de 2006. Agora, porém, impulsionados pela dificuldade de gerir a crise política com um Congresso cada vez mais fragmentado, Temer deu aval para que grandes partidos de sua coalizão retomem o debate. A via indireta é uma estratégia para ele não se indispor com siglas pequenas e médias que poderiam ser prejudicados com a proposta.
temer_folha
Temer.