quinta-feira, 11 de maio de 2017

* Agentes encontram ossada na penitenciária de Alcaçuz.

Uma equipe médica do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) recolheu na manhã desta quinta-feira (11) parte de uma ossada descoberta próximo ao pavilhão 2 da Penitenciária Estadual de Alcaçuz. A unidade fica em Nísia Floresta, na Grande Natal. Ainda não há a confirmação se os restos mortais são humanos. 

Maior presídio do Rio Grande do Norte, Alcaçuz foi palco de um massacre em janeiro, quando 26 detentos foram brutalmente assassinados durante um confronto envolvendo duas facções criminosas rivais. Este é o número oficial de mortos confirmados pelo Estado. 

Diretor-geral do Itep, Marcos Brandão ressaltou que, “se os ossos forem mesmo de uma pessoa, é o perito quem vai precisar quando a vítima foi morta e o que causou a morte dela”. Ainda de acordo com Brandão, a perícia também poderá atestar se os ossos encontrados – uma vez confirmados se são mesmo humanos – fazem parte de algum dos 26 corpos recolhidos em janeiro ou se estes restos mortais são de uma nova vítima da matança.
Matança em Alcaçuz foi resultado de um confronto entre facções rivais (Foto: Andressa Anholete/AFP)
Resultados da guerra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário