sexta-feira, 2 de junho de 2017

* INSEGURANÇA PÚBLICA E DINHEIRO CORRENDO SOLTO.

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte alega não ter dinheiro para pagar os salários dos servidores das polícias, do ITEP e do Sistema Prisional em dia. Também não tem dinheiro para fazer concursos públicos para a Segurança. Tampouco tem verbas para melhoria da estrutura de trabalho ou Diárias Operacionais ( horas extras) dos profissionais da Segurança Pública.

É o que estamos ouvindo há meses, enquanto sucessivas emergências nos presídios, explosões de bancos, assaltos epidêmicos nas ruas e tráfico de drogas se alastram: "Não há dinheiro para NADA."

No entanto, entre abril e maio de 2017, o Tribunal de Justiça do RN gastou trinta e oito milhões e setecentos mil reais com indenizações a magistrados e funcionários. Esse é um gasto "extra", ou seja, está fora dos altíssimos gastos normais da instituição com salários e estrutura ( tudo excelente).

O orçamento da PMRN é cerca de oito milhões por mês. O orçamento da PCRN é quatro milhões de reais por mês.

Apenas com o dinheiro gasto em indenizações pelo TJRN entre abril e maio, o Estado poderia sustentar todos os gastos da PMRN por mais de quatro meses, ou todos os gastos da PCRN por quase dez meses. Se fosse aplicado mensalmente na atividade Policial, esse mesmo montante poderia sustentar os gastos totais das duas Polícias e ainda bancar um aumento de mais de 250% na Segurança das pessoas, cidades e atividades comerciais do Rio Grande do Norte.

Mas não é de indenizações que vive o TJRN. Seu orçamento mensal é de oitocentos e cinqüenta e quatro milhões de reais. Isso mesmo: o Estado gasta com o TJ quase um bilhão de reais TODOS OS MESES. Entendeu?

Os poderes necessitam se integrarem a realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário