terça-feira, 4 de julho de 2017

* Seis deputados ainda não se decidiram sobre denúncia contra Michel Temer.

A maioria dos integrantes da bancada federal potiguar ainda não se pronunciou publicamente com relação à denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer (PMDB), que pode resultar no afastamento do peemedebista do cargo caso a Câmara dos Deputados autorize a abertura de um processo contra o presidente.

Dos oito deputados federais do Rio Grande do Norte, apenas Rafael Motta (PSB), ao jornal Folha de São Paulo, e Zenaide Maia (PR), ao Globo, afirmaram que vão votar a favor da abertura do processo contra Temer, que foi acusado de corrupção passiva na peça formulada por chefe do Ministério Público Federal, Rodrigo Janot.

A reportagem tentou contato com os oito parlamentares e obteve resposta de apenas dois. Tanto Rogério Marinho (PSDB) quanto Walter Alves (PMDB) disseram que não tiveram, ainda, acesso ao inteiro teor da acusação contra o presidente e que, por isso, não tinham um posicionamento definido.

Os demais parlamentares, Antônio Jácome (Podemos), Beto Rosado (PP), Fábio Faria (PSD) e Felipe Maia (DEM), não responderam aos questionamentos da reportagem. Em outras oportunidades, os deputados do RN ou declararam indecisão ou também não foram localizados.

DENÚNCIA

A acusação por corrupção passiva foi apresentada por Rodrigo Janot no dia 26 de junho ao Supremo Tribunal Federal (STF). De lá, o ministro Edson Fachin encaminhou a denúncia para a Câmara, que autoriza ou não a abertura do processo contra o presidente. Para que a denúncia seja efetivamente acatada, é preciso autorização de 342 dos 513 deputados.

Se a denúncia for admitida, Temer poderá ser julgado no STF. Enquanto o processo segue, ele é afastado do cargo por até 180 dias e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), assume interinamente. Em caso de condenação, Temer é deposto do cargo e uma eleição indireta deve ser convocada.
A boca é quente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário