domingo, 1 de janeiro de 2017

* Em Caraúbas, Josean Amorim é o novo presidente da câmara de vereadores.

Assim como divulgamos em primeira mão, O Edil Josean Amorim (PMDB) foi eleito na madrugada de hoje (1º), pelos seus pares (parte deles 6) como novo presidente da câmara de vereadores de Caraúbas.

O edil enfrentou Antônio Argemiro (PP) que contou com os 5 votos da atual situação.

Essa foi a primeira derrota política do novo governismo, esse inicia o mandato com minoria na casa do povo.

Desejamos sorte ao eleito que terá como companheiros da mesa, Titica de Lúcio (Vice presidente), Edu Licurgo (1º Secretário) e João Maria (2º Secretário).
Presidente Josean Amorim ao lado do decisivo Novinho Praxedes no pleito.

* Petrobras dobra valor de mercado e lidera valorização.

Apesar de amargar, em 2016, resultados financeiros desanimadores, grande parte das maiores empresas brasileiras de capital aberto teve pelo menos um motivo para comemorar.

Se, por um lado, muitas registraram prejuízo recorde, por outro, elas não só recuperaram o valor de mercado perdido em 2015, como foram além.

O valor de mercado da Petrobras passou de 101,3 bilhões de reais no fim de 2015 para 209,4 bilhões de reais, incremento de 106,7%.

O resultado ocorre apesar de um prejuízo líquido de 17,3 bilhões de reais nos nove primeiros meses do ano, o maior da bolsa brasileira no período em valores absolutos, segundo levantamento da Economática.
IMG_2234
Petrobras.

* Gilmar estimulará Congresso a rever sistema eleitoral.

O TSE fará em fevereiro um seminário para analisar sistemas eleitorais mundo afora. Presidente da corte, o ministro Gilmar Mendes quer discutir não só o financiamento de campanhas, mas como os candidatos serão eleitos em 2018. O objetivo é influenciar a aprovação de um novo modelo até setembro para que o próximo escrutínio ocorra dentro de melhores regras. “Ou o problema das doações ficará mais grave, porque será briga de elefantes — eleição de governadores e presidente.”

Caciques de alguns dos maiores partidos articulam restabelecer a doação empresarial, mas com limite de repasses. Transferências com CNPJ cairiam em um fundo controlado pelo TSE, e não nas contas de comitês financeiros das campanhas.
IMG_2238
Gilmar Mendes.

* 2017: Lava Jato prevê ações em mais sete estados.

A expectativa dos procuradores e delegados é que essa convergência de fatores duplique os números da investigação que em 2016 realizou 17 operações e ofereceu 20 denúncias. Só com o acordo da empreiteira baiana, a projeção é que, além dos seis estados com inquéritos em andamento, ao menos outros sete transformem-se em sedes de operações cujo objetivo é avançar sobre o “mega esquema de desvios de recursos públicos” patrocinado por agentes públicos e privados corruptos.

Após os desmembramentos impostos pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e o compartilhamento de informações com o Ministério Público de outros estados, operações “filhotes” da Lava Jato já apareceram em São Paulo (Custo Brasil), Rio de Janeiro (Irmandade, Pripyat e Calucite), Goiás (O Recebedor e Tabela Periódica), Pernambuco (Vidas Secas e Turbulência), Rondônia (Crátons) e no Distrito Federal (Janus). Com a delação da Odebrecht esse número deve quase duplicar. Apenas nos documentos apreendidos na 35ª fase, a Ommertá, os investigadores encontraram e-mails e pedidos de pagamento via o Setor de Operações Estruturadas, o departamento da propina, atrelados a 38 projetos espalhadas em 10 estados – RJ, SP, BA, RS, PE, RN, PR, CE, PI e ES. São obras que vão desde o metrô em São Paulo e Rio de Janeiro aos estádios da Copa do Mundo em Pernambuco, Rio e Bahia.
IMG_2233
Moro.

* Rosalba a Prefeitura de Mossoró pela quarta vez.

Prefeita eleita de Mossoró, Rosalba Ciarlini (PP) assumirá neste domingo, o quarto mandato à frente do Palácio da Resistência.

Se elegeu pela primeira vez ao vencer o ex-deputado, Laíre Rosado. Na época não havia o instituto da reeleição.

Quatro anos depois voltou a se candidatar e mais uma vez se elegeu prefeita, se reelegendo quatro anos depois para o terceiro mandato.

Em seguida, foi eleita a primeira senadora do Rio Grande do Norte e quatro anos depois, mesmo com um mandato garantido de 8 anos, renunciou para ser candidata ao governo do Rio Grande do Norte.
IMG_2249
Rosalba Rosado.