sábado, 17 de junho de 2017

* Polícia prende mais dois suspeitos de envolvimento no latrocínio do servidor da UERN em Mossoró.

Há pouco mais de treze dias, após o crime de latrocínio, (Roubo seguido de morte) contra o servidor da Universidade Regional do Rio Grande do Norte (UERN), Hiroito Gonçalves Falcão, morto dentro de casa no Abolição II em Mossoró, durante assalto, a Delegacia de Furtos e Roubos (DEFUR), tendo a frente os dois delegados, Luiz Fernando e André Albuquerque, com apoio da 3ª equipe da Delegacia de Plantão, conseguiu juntar as peças do quebra cabeça e desvendar o crime.

Segundo o delegado da especializada, Luiz Fernando, três dos envolvidos no crime já estão presos por determinação judicial, são eles: o cabeleireiro Pedro Henrique da Silva, preso pela 3ª equipe da DP de Plantão, no dia seguinte ao crime, a sua esposa técnica de enfermagem Ivonete Tintino da Silva, que trabalhava na casa da vítima e teria passado informações para o marido e Jefferson Batista Souza Morais.

Jefferson Batista e Ivonete Tintino foram presos nesta sexta feira 16 de junho, pela equipe da Delegacia de Furtos e Roubos, por força de mandados de prisão expedidos pela justiça. Jefferson Batista foi preso preventivamente e Ivonete Tintino teve o mandado de prisão temporário.

Os dois foram presos em suas respectivas casas e conduzidos à Defur onde foram interrogados pelo delegado Luiz Fernando, acompanhados de seus advogados. De acordo o bacharel Luiz Fernando, Jefferson confessou sua participação no crime, disse que apenas dirigiu o carro, e apontou todos os outros envolvidos.

Já Ivonete Tintino, segundo Luiz Fernando, disse que é inocente e que não teve nenhuma participação no crime, apenas esperava o marido para pegá-la como fazia rotineiramente. Os outros três envolvidos, de acordo com o delegado, dois se encontram foragidos, mas já estão com mandados de prisão preventivas expedidos pelo judiciário.  São eles: Anderson Rocha de Oliveira e Michael Eduardo Rocha da Silva.

Felipe Rodolfo da Silva, irmão de Pedro Henrique da Silva, de acordo com o titular da DEFUR, também estava envolvido no latrocínio, mas este foi assassinado, quando se dirigia ao ITEP para fazer exame papiloscópíco na última quarta-feira (15). A Morte dele está sendo investigada pela Divisão de Homicídios (DHPP).

Dr. Luiz Fernando concluiu a entrevista afirmando que o latrocínio está elucidado com as respectivas autorias e que o inquérito está praticamente concluído, faltando apenas a parte pericial, para que seja encaminhado a Justiça.

Em relação aos dois foragidos, Luiz Fernando enfatizou que sua equipe está trabalhando dia e noite para localizá-los e que a prisão dos dois é questão de dias.
Lascou-se.
Fim da Linha

* Adeus à Guerreira do Povo foi marcado por emoção e homenagens.

No velório, na missa, no cortejo e no sepultamento, foram muitas as homenagens marcadas por emoção feitas à Guerreira Wilma de Faria, ex-governadora, ex-prefeita de Natal, ex-deputada federal, ex-vice-prefeita de Natal e ex-vereadora de Natal. 

O corpo de Wilma foi levado da Catedral Metropolitana ao Cemitério Morada da Paz no carro do Corpo dos Bombeiros. 

A chegada do cortejo ao cemitério foi ao som da música “Vermelho”. E no sepultamento, depois de discursos, foram cantadas outras músicas das campanhas da Guerreira. 
Adeus guerreira.

* Ataques a jornalistas.

Não são mera coincidência as agressões e insultos contra Mirian Leitão e poucos dias depois contra o jornalista Alexandre Garcia, no aeroporto de Brasília.

Os pistoleiros de aluguel da era petista, de inspiração fascista, lembram os “camisas negras” que perseguiam e intimidavam críticos do líder fascista italiano Benito Mussolini.

O capanga que agrediu Alexandre Garcia é o mesmo que em 2014 insultou o ministro Joaquim Barbosa (STF), pela atuação no mensalão. Isso não é casual.

A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Impunes, os “camisas negras” (que incluíam criminosos e oportunistas em busca de fortuna fácil) passaram depois a assassinar opositores.

Contratantes agora usam simpatizantes para monitorar viagens de jornalistas da Globo, “plantando” seus camisas negras no mesmo voo.

Os paus mandados gravam a selvageria com celulares, tentando obter reação descontrolada das vítimas para expor nas redes sociais.

* STF nega recurso de Aécio para que plenário analise pedido de prisão.

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou recurso da defesa do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) para que o pedido de prisão contra ele, apresentado pela Procuradoria-Geral da República (PGR), seja apreciado pelo plenário da Corte e não pela Primeira Turma.

* Deputado do PMDB chama Joesley de ‘cachorro’

O vice-líder da bancada do PMDB na Câmara, Carlos Marun (MS), chamou Joesley Batista, da JBS, de “meliante” e “cachorro” ao comentar, neste sábado (17), a entrevista que o empresário concedeu à Revista Época.

Em nota sobre as acusações feitas por Batista, de que presidente Michel Temer é chefe de uma quadrilha, Marun disse que o dono da rede de frigoríficos faz um “desfile de acusações genéricas”. O deputado peemedebista é um dos mais ferrenhos integrantes da tropa de choque do governo.
IMG_5596
Marum.

* Prefeitura de Caraúbas sendo cobrada para implantação do Portal da Transparência.

A justiça via MP vem cobrando veementemente a implantação/atualização do Portal da Transparência para Prefeitura de Caraúbas.

Os dados exorbitante das dispensas, licitações e caronas causam estranheza na sociedade e nos órgãos fiscalizadores da lisura governamental e o bom trato com o erário público, nossa.

Tá demais e já faz tempo no pouco tempo!
No aguardo dos números.

* Agricultores morrem em acidente entre carro e moto na BR-405 no RN.

G1/RN: Dois agricultores morreram em um acidente envolvendo uma moto e um carro na noite desta sexta-feira (16) na BR-405, na saída de Mossoró. Os agricultores estavam na moto que foi atingida por um carro. Os dois morreram no local. 

As vítimas foram identificadas como Luiz da Costa Lima, de 39 anos de idade, e Jonas Nunes da Silva, de 37. 

O acidente aconteceu próximo à comunidade de Pedra Branca, na saída de Mossoró para a cidade de Apodi. A polícia acredita que o carro, um Palio com placas de Mossoró, tenha batido na traseira da moto que acabou ficando presa ao veículo. A moto foi arrastada por cerca de 170 metros. 

As vítimas foram jogadas para fora da pista. Quando agentes da Polícia Rodoviária Federal chegaram ao local encontraram os corpos e a moto presa ao veículo, mas o motorista do carro não estava no local. Pouco tempo depois ele se apresentou aos agentes da PRF e disse que tinha fugido do local por medo da reação dos moradores da localidade.
Acidente aconteceu na BR-405, na saída de Mossoró (Foto: Marcelino Neto/O Câmera)
Vítimas do trânsito. 

* Número de mortos no incêndio em Londres pode passar de 100, diz polícia.

O número de mortos no incêndio de grandes proporções em um prédio residencial em Londres subiu de 17 para 30, informou a polícia britânica nesta sexta-feira, 16. As autoridades confirmaram que aproximadamente 70 pessoas estão desaparecidas. Essa é a primeira vez que polícia divulga um balanço de desaparecidos – o que deve elevar o número de mortos na tragédia. “Ao menos 30 pessoas morreram”, afirmou o comandante da polícia, Stuart Cundy. Contudo, ele acredita que “infelizmente, o número voltará a aumentar”.

Segundo os bombeiros, o fogo na Torre Grenfell foi extinto e não há indícios de que foi provocado deliberadamente. Na tarde desta sexta, um grupo de manifestantes foi até a subprefeitura de Kensington para reclamar da falta de informações. “Queremos justiça”, gritava o grupo.

Segundo Cundy, das 24 pessoas que ainda estão hospitalizadas, 12 estão em estado grave. Em seu último relatório oficial, o Serviço Nacional de Saúde (NHS, na sigla em inglês) do Reino Unido informou que os feridos recebem tratamento médico em quatro hospitais da capital.

Os meios de comunicação locais especulam que o fogo na Torre Grenfell – um bloco 24 andares e 120 apartamentos -, onde viviam entre 400 e 600 pessoas, no bairro de North Kensington – teria deixado “mais de 150 mortos”.

A polícia do Reino Unido admitiu ser possível que muitas vítimas no incêndio não possam ser identificadas. Cundy disse que “há o risco de que não possamos identificar todo mundo”. A primeira vítima foi identificada como o refugiado sírio Mohammed Alhajali, de 23 anos, que estudava engenharia civil e estava no 14º andar do prédio quando o incêndio começou.

O imóvel incendiado, cujos sistemas de segurança estão sendo duramente questionados, começou a pegar fogo na noite de terça-feira e as chamas se propagaram em apenas meia hora, cobrindo toda a torre e dificultando a fuga dos residentes do prédio, muitos dos quais ficaram presos.

O ministro de Comunidades britânico, Sajid Javid, afirmou que o governo “fará tudo o que for possível” e adotará medidas imediatas a fim de socorrer os afetados pela tragédia.
Incêndio em Londres
Tragédia.

* Onze presos estão desaparecidos desde o motim no presídio de Alcaçuz.

Uma simples chamada telefônica causa apreensão à empresária Camila Lima. O som da campainha quando ecoa no apartamento faz o coração do aposentado Francisco Luiz da Silva, de 64 anos, palpitar mais forte e se encher de esperança. Eles anseiam por respostas. A angústia, porém, consome os dias de ambos de maneira mais intensa há quase cinco meses. O filho dele, Guilherme Ely Figueiredo da Silva, de 36 anos, e o irmão da empresária, Caio Henrique Pereira de Lima, 29 anos, cumpriam pena por tráfico no Pavilhão 4 da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, na região metropolitana de Natal. Eles, e outros nove detentos, sumiram após a rebelião em janeiro. Não há nenhum tipo de registro da entrada deles em outras unidades prisionais, hospitais públicos ou privados nem na lista oficial dos foragidos ou mortos.

Coube aos familiares iniciar uma incansável e frustrante procura “É uma busca desesperadora. Comparo o caso do meu filho com o de Eliza Samúdio, com o de Ulysses Guimarães, cujos corpos jamais apareceram. Ninguém sabe onde eles estão”, disse o aposentado.

Desde a rebelião, Silva não deixou de pensar com mais intensidade no filho. Eles não dividiam o mesmo teto desde abril de 2016, quando Ely foi preso pela última vez. “Minha mulher está em estado terminal de câncer e eu passava dia e noite com ela no hospital. Certo dia, vim em casa e quando fui atender à campainha, uns dez policiais entraram procurando por ele e o levaram. Guilherme consumia drogas, mas não era traficante. Depois, vivemos essa angústia. Tudo piorou depois que ele sumiu de Alcaçuz. O Estado tem de dizer onde está meu filho”, declarou, olhando para uma foto do filho. 

Questionado sobre o vazio da ausência, ele respirou fundo e respondeu, com os olhos cheios de lágrimas: “O quarto dele está arrumado, esperando voltar. Fica um vazio, sabe? Eu me sinto apunhalado pela incerteza. Não sei se um dia sentirei ele junto a mim de novo.”

Incógnita

O paradeiro de Ely é uma incógnita reconhecida pela Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (Sejuc), responsável pela administração das prisões potiguares. “Nós não sabemos onde ele está”, limitou-se a dizer o titular da pasta, Luiz Mauro Albuquerque Araújo. Informações repassadas por outros detentos ao Estado indicam que os dois homens foram mortos e estão enterrados em um túnel abaixo do Pavilhão 4 de Alcaçuz. O Estado, porém, nega a informação.

Já o nome de Caio Henrique Pereira de Lima aparece na lista do governo como recolhido à penitenciária, mas Camila, garante que ele não está lá. “Não temos notícias dele há quatro meses.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Caos.

* ‘A sensação é de que o crime compensou’, diz Flávio Rocha, sobre delação da JBS.

Um dos empresários que capitanearam o movimento em defesa do impeachment de Dilma Rousseff, no ano passado, o presidente da Riachuelo, Flávio Rocha, afirma que a delação da JBS, que jogou o governo Michel Temer em uma crise política e colocou em risco a aprovação das reformas previdenciária e trabalhista, é uma prova de que o crime, nesse caso, compensou.

Segundo Rocha, o fato de os irmãos Batista terem saído livres ao denunciar figuras como o Temer e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi uma vitória da ala da sociedade que ele classifica de antirreformista, grupo em que inclui empresários alçados à categoria de “campeões nacionais” no governo Lula.

Veja no link abaixo a entrevista completa:
Na mídia. 

* Chuva de Bala no País de Mossoró.

O espetáculo Chuva De Bala No País De Mossoró teve sua estreia na noite desta sexta-feira, no adro da Igreja de São Vicente. O espetáculo conta a história da resistência de Mossoró ao bando do cangaceiro Lampião, num combate que aconteceu em junho de 1927. Nestes 90 anos de Resistência, o espetáculo musical épico campal chega a sua 16ª edição, adaptado do texto original do poeta potiguar e escritor Tarcísio Gurgel.

Setenta e seis (76) artistas pisarão o palco mais uma vez, com a tarefa de contar e cantar a história que enche de orgulho aos mossoroenses e potiguares. Nos papéis protagonistas do Coronel Rodolfo e do Capitão Lampião, os atores Marcos Leonardo e Dionizio Cosme do Apodi, respectivamente, celebram um brilhante retorno aos papéis que os tornaram célebres no estado. Como narradores da história, um trio de cantores populares, Tonho, Totonho e Toinho, respectivamente representados pelos reconhecidos atores Leonardo Wagner, Romero Oliveira e Jeyzon Leonardo.
chuva de bala
Chuva de bala...